47% dos jovens do concelho de Torres Vedras praticam desporto fora da escolas
publicidade

No dia em que a Câmara Municipal de Torres Vedras foi distinguida com a Bandeira da Ética, uma certificação do Instituto Português do Desporto e Juventude, que reconhece o trabalho desenvolvido pelas instituições comprometidas com a ética no desporto, foi apresentado o Plano Estratégico do Desporto para o concelho de Torres Vedras.

Na noite de ontem, 25 de novembro, o Teatro-Cine de Torres Vedras abriu portas para a cerimónia de entrega da Bandeira da Ética atribuída ao “Programa de Promoção da Ética no Desporto”, da Câmara Municipal de Torres Vedras e para apresentação do Plano Estratégico do Desporto.

Plano Estratégico do Desporto 2020-2025, desenvolvido por quatro professores da Escola Superior de Desporto de Rio Maior, baseou-se numa amostra de mais de 1700 pessoas inquiridas entre elas, jovens e adultos torrienses, responsáveis das freguesias de Torres Vedras, responsáveis de clubes, ginásios, associações e empresas, responsáveis do desporto escolar e elementos da Câmara Municipal de Torres Vedras.

Este plano teve como objetivo “identificar, analisar e validar os principais problemas e oportunidades de desenvolvimento” quanto à pratica desportiva realizada pelos cidadãos do concelho de Torres Vedras para que seja definida uma estratégica com fim a aumentar a atividades física dos torrienses.

Jovens – Desporto Escolar

Após a analise dos dados recolhidos, foi possível concluir que cerca de 30% dos jovens inquiridos, entre os 10 e os 14 anos, têm prática desportiva no desporto escolar, sendo que as três modalidades mais praticadas são o voleibol, badminton e ténis de mesa.

Jovens – Prática Desportiva fora da escola

Quanto à prática desportiva fora da escola, 47% dos jovens inquiridos fazem prática desportiva em clubes ou de forma organizada, sendo que nos Top3 das modalidades mais praticadas estão o futebol, natação e danças/ballet.

No inquérito foi pedido que apreciassem as instalações desportivas e os espaços naturais do concelho e 96% dos jovens revelaram “gostar” ou “gostar muito” das instalações.

As três principais razões apontadas pelas jovens para não praticarem desporto foram: “Não gosto de fazer desporto” (24%), “Faltam atividades adequadas às minhas preferências” (25%) e “Não existem infraestruturas perto do sítio onde moro” (quase 23%).

Quanto à intenção futura dos jovens em praticar desporto, 60% dos jovens não praticantes mostraram vontade em iniciar a prática desportiva, sendo que as modalidades que mais gostariam de vir a praticar são o futebol, a natação e danças/ballet.

inercia como falta de motivação e interesse, foi a principal justificação dos jovens para o facto de não praticarem desporto (43%). Os custos e o preço que é necessário despender para a realização da atividades física foi outro obstáculo apresentado (20%).

Mais espaços verdes, oferta de mais atividades e melhor divulgação da oferta já existente, foram algumas das sugestões deixadas pelos jovens.

Adultos – Prática desportiva

Após a analise dos dados recolhidos, foi possível concluir que 41% dos adultos inquiridos, entre os 14 e os 74 anos, têm por habito praticar atividade física e desportiva, uma taxa de participação “muito positiva e acima da média nacional”, referiu Alfredo Silva, um dos professores responsáveis pelo Plano, que apresentou todos estes dados na noite de ontem.

As atividades físicas e desportivas mais praticadas pelos adultos são atividades de manutenção (22%), nomeadamente caminhadas, jogging e corrida e logo de seguida atividades de ginásio (21%).

Outro dado retirado deste inquérito prende-se com o facto de os homens serem mais ativos até aos 35 anos e as mulheres mais ativas a partir dos 50 anos.

No que diz respeito às razões para a prática de atividade física e desportiva, 96% têm como objetivo melhorar a sua saúde e 93% melhorar a forma física.

Já as razões para não praticar desporto, 61,5% revelou não ter tempo e quase 39% não ter motivação ou não estar interessado.

A intenção dos adultos não praticantes em iniciar a prática desportiva é menos que a dos jovens – (30%).

Quanto aos obstáculos para mais atividade física entre a população, 29,6% apontam a falta de vontade, de interesse, de motivação e a falta de tempo como principal fator.

Oferta de mais atividades, diversificadas, eventos, melhorias das infraestruturas, preços mais reduzidos e melhor divulgação da oferta já existente, são algumas das sugestões deixadas pela população.

“Reforçar o concelho com instalações desportivas específicas, para práticas formais e informais; melhorar os canais de comunicação e divulgação dos eventos e das iniciativas realizadas no concelho; ajustar ofertas de modalidades à população potencialmente interessada e rejuvenescer os papéis de dirigente tendo mais jovens nas direções dos clubes”, são algumas das conclusões retiradas a partir do inquérito realizado.

Assim, o Plano Estratégico do Desporto 2020-2025 terá cinco planos de ação tendo como base os dados recolhidos. Sabe sobre estes cinco planos de ação aqui.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here