publicidade

O controlo e organização das suas finanças são um pilar obrigatório para o seu bem estar físico, emocional e mental. Abaixo apresentamos-lhe 7 dicas úteis para começar 2023 com o pé direito.

1.   Estruture o Seu Orçamento

O planeamento do destino do seu dinheiro é fulcral na sua organização financeira, seja ela pessoal ou empresarial. Identificar e hierarquizar as suas despesas e gastos dar-lhe-á um “guião” a seguir para que não incorra em despesas de forma inconsciente.

Um ponto-chave na elaboração do seu orçamento é a distinção básica entre aquilo que se trata de uma despesa essencial e incontornável daquela que se destina a satisfazer desejos pessoais, lazer, hobbies ou extras. A distribuição aconselhada é de 50-30-20 e poderá ser feita mensalmente ou anualmente.

  • 50% em bens essenciais – alimentação, combustíveis, electricidade, etc;
  • 30% para satisfação de desejos pessoais;
  • 20% alocado a poupança e pagamento de dívidas.
2. Controlar as Entradas e Saídas de Capital

A elaboração de um simples ficheiro de Excel poderá ser suficiente para não ser apanhado desprevenido, embora deva ser diligente no preenchimento deste quando existam entradas ou saídas de dinheiro. Não basta saber identificar quais os seus lucros e despesas. É também necessário ser diligente no seu acompanhamento e registo.

Não deixe absolutamente nada de fora da sua folha de despesas, por mais pequeno que seja o montante. Ficará surpreendido com o impacto mensal que despesas aparentemente menores têm na sua situação financeira.

3. Não Gaste Mais do que Ganha

Parece brincadeira mas não é; paralelamente a uma desatenção diária face ao seu extracto bancário acresce a existência de cartões de crédito. Estes poderão proporcionar-lhe a falsa sensação de que tem um poder de compra superior ao que a sua situação financeira pode realmente comportar em determinado momento.

Pagar despesas de forma parcelada é uma benesse e, se usado com disciplina, poderá proporcionar-lhe uma maior qualidade de vida. Mas se acabar por se endividar em montantes que excedem a sua capacidade  (porque tarde ou cedo sabe que terá de saldar créditos) poderá encontrar-se numa situação financeira precária ou mesmo de endividamento.

4. Faça Pagamentos em Dinheiro

Um hábito incomum e que não recebe o protagonismo devido quando falamos de poupanças. Numa sociedade de crescentes, e crescentemente cómodas, soluções financeiras, o dinheiro físico está a cair em desuso em prol da utilização de pagamentos digitais ou automatizados (ex: contactless).

Faça a experiência: pegando numa soma de dinheiro avultada (tomando as devidas precauções em termos de discrição e segurança) e pague as suas dívidas em dinheiro durante um mês. Ficará surpreendido com o quão mais seletivo e reticente se sentirá em relação ao pagamento de certos serviços e produtos.

5. Poupe!

A vida é imprevisível e, por mais diligente que seja na prevenção contra despesas inesperadas, estas acabarão inevitavelmente por aparecer. Estabeleça uma quantia com que se sinta confortável, e que se adeque ao seu orçamento, e coloque essa quantia de parte mensalmente.

Este crescente montante servirá como “pé-de-meia” para saldar dívidas inesperadas que lhe apareçam, ou poderá ser utilizado para cumprimento de objetivos e metas pessoais que define. Será sempre mais fácil poupar um extra todos os meses se souber especificamente porque o está a fazer.

6. Distinga Pessoal de Profissional

O controlo de despesas deve ser transversal a qualquer atividade, seja esta de cariz pessoal ou profissional, no entanto, se cai sobre a sua guarida o controlo das finanças de uma empresa, terá de redobrar os seus esforços por ser organizado e de controlo. Nunca misture as suas finanças pessoais com a sua(ou de qualquer) empresa.

A utilização dos seus rendimentos pessoais para saldo de dívidas da sua atividade/empresa ou vice-versa, poderá complicar em muito a sua situação financeira, assim como da sua empresa, já para não falar de potenciais implicações legais.

7. Simplifique

Por último, mas não menos importante, simplifique! O leque de opções onde pode gastar dinheiro hoje em dia é infindável, a tentação está um pouco por todo o lado. A somar-se-lhe vêm também as vicissitudes da vida quotidiana diária. Saber exatamente onde, quando e porquê gastar/investir os seus rendimentos tirar-lhe-á um peso de cima.

Se estiver, por exemplo, numa situação em que necessita de saldar múltiplas prestações mensais, procurar soluções como crédito consolidado Credibom poderá simplificar em muito o processo de organizar e saldar as suas dívidas pessoais recorrentes.

Boas entradas para 2023, e de preferência com poucas “saídas”!


publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here