publicidade

No Dia Internacional do Voluntariado partilhamos este artigo do Banco Local de Voluntariado do Entroncamento.

É a 5 de dezembro que em todo o mundo (pelo menos nos países que vivem em democracia) acontece o Dia Internacional dos Voluntários (ou melhor, Dia Internacional dos Voluntários para o Desenvolvimento Económico e Social dos Povos), que se celebra desde 1985, fruto de resolução que as Nações Unidas tomaram no naquele ano.

É comum as pessoas associarem o trabalho voluntário à ideia de que alguém em situação social ou económica tida como superior, se dispõe a ajudar pessoas ditas como inferiores, carentes e necessitadas de ajuda. É normal que haja gente que pensa assim. Até porque são muitas as situações em que a vertente paternalista, caridosa (no sentido incorreto do termo), assistencialista e subjugadora; e que efetivamente não promove a pessoa, mas a mantém “agarrada” à situação de carência, está presente nesta atividade que afinal é de nobreza elevada. Também é comum os voluntários serem considerados agentes de perturbação do emprego, de impedimento do exercício de direitos que a outros pertencem ou de usurpação de bens e serviços que se destinam a outros.

Mas o trabalho voluntário e cada ato voluntário, é algo bem mais profundo e sensível. Estender-se as mãos ao próximo, ao semelhante, é um ato que exige coragem e disposição para o compromisso, na doação de tempo e talento, generosamente, que pode e deve ser entendida como real solidariedade, aquela que não espera nada em troca. É um ato que exige que enfrentemos as nossas próprias fraquezas e limitações; e que demos passos em frente em relação ao outro, na promoção do seu bem-estar, da sua qualidade de vida e da sua felicidade.

É diante e conscientes das suas próprias fraquezas, que os cidadãos que se atrevem a ajudar, querem também eles se sentir melhores, curar as suas próprias feridas e superar as suas limitações, como quem, diante de uma grande onda, não recua, mas mergulha. A prática do voluntariado dá saúde e bem-estar. É bom para quem é ajudado e para quem ajuda.

Como diz a Lei 71/98, o “Voluntariado é o conjunto de ações de interesse social e comunitário realizadas de forma desinteressada por pessoas, no âmbito de projetos, programas e outras formas de intervenção ao serviço dos indivíduos, das famílias e da comunidade desenvolvidos sem fins lucrativos por entidades públicas ou privadas.”

Que a efeméride seja mais uma vez e realmente, um alerta e um apelo (diga-se mesmo, desesperado), a quem quer e não pode; e a quem pode e não quer, ser agente do modo mais sublime do exercício da cidadania: a prática do voluntariado.

Pela democracia e por uma cidadania ativa e responsável… Sejamos Voluntários!

Entroncamento, 5 de dezembro de 2018

Banco Local de Voluntariado do Entroncamento

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here