publicidade

Começa este fim-de-semana a Fase de Subida do Campeonato de Portugal Prio, com a equipa do Sport Clube União Torreense a marcar presença entre os oito candidatos que, na Zona Sul, vão lutar pela promoção à Segunda Liga.

O Torreense alcançou a proeza de conseguir o apuramento na mesma série de uma equipa que no ano anterior estava nesse nível superior, conseguindo-o com uma ponta final de campeonato que comprovou todas as forças do seu grupo. A solidez da equipa de Torres Vedras baseia-se na sua organização defensiva, tornando muito difícil a qualquer adversário conseguir criar perigo nas imediações da sua área. Com um onze que desce bastante as suas linhas para se proteger, acaba por ser fundamental a forma como os seus extremos impõe velocidade no jogo, tornando o Torreense uma força na transição ofensiva.

scut

Estas características permitirão ao Torreense adaptar-se com alguma facilidade à realidade que o espera na Fase de Subida. O nível dos adversários é mais alto, com mais talento em cada um dos plantéis, mas as chaves para os sucesso continuarão a passar por sofrer poucos golos. Assim, depois de surpreender na Série F, os homens de Rui Narciso partem confiantes para o que lhes falta da temporada. A dupla de centrais composta por Fábio Santos e Welinton, os promissores médios Stephen Eustáquio e Tiago Esgaio e os finalizadores Pedro Bonifácio e Hélio Vaz serão figuras que contamos ver regularmente em destaque.

Os adversários

Fátima (1º Classificado da Série E)

Numa Série onde dois dos grandes favoritos ao apuramento acabaram por ficar de fora, o Fátima é uma equipa que mostrou solidez ofensiva. Ainda assim, não deixa de apresentar alguns sinais de inconstância, partindo para a Fase de Subida com o seu terceiro técnico da temporada. Depois de João Henriques e Silveira Ramos, vai ser o jovem Bruno Álvares a liderar uma equipa com ambições de subida. O guarda-redes italiano Valerio Vimercati será o elemento que merece maior destaque num plantel onde também está Fábio Coça, formado no Torreense.

Operário Lagoa (2º Classificado da Série E)

A equipa açoriana volta a estar envolvida na luta pela promoção, demonstrando que a experiência é uma arma bastante eficaz nesta divisão. Um pouco à imagem do Torreense, a equipa de Lagoa alcançou o seu primeiro objetivo, a manutenção, mas não deixou de procurar reforços para abordar esta fase da competição. João Botelho, guarda-redes, chega do Santa Clara, para reforçar uma equipa onde Fábio Gomes, com 16 golos, é a principal ameaça. O defesa-central Paulo Renato, formado no Sporting e com longa carreira profissional, será a sua principal garantia em termos defensivos.

Praiense (1º Classificado da Série F)

Uma das equipas mais fortes da Zona Sul, o conjunto da Praia da Vitória teve várias oportunidades para demonstrar que o ritmo do seu jogo está uns furos acima de boa parte da concorrência. Francisco Agatão orienta uma equipa muito focada nos seus objetivos e que se foi reforçando ao longo do campeonato, para apresentar uma estrutura muito consolidada já a partir da primeira jornada da Fase de Subida. O guarda-redes Tiago Maia, o lateral-esquerdo Amian Clement e o médio Joazimar Stehb são alguns dos responsáveis do sucesso dos açorianos, que apresente como outra das suas forças a diversidade de armas ofensivas, com sete jogadores com quatro ou mais golos marcados. Luís Tavares, com 33 anos, terminou a primeira fase como o melhor marcador da equipa.

Sacavenense (1º Classificado da Série G)

Num clube que tem vindo a aproximar-se das principais potências do futebol de formação a nível distrital, o apuramento para a Fase de Subida não deixa de significar que essa aposta pode dar frutos também no escalão sénior. O Sacavenense sofreu apenas 6 golos na primeira fase e apresenta uma solidez de processo que o tornarão num dos adversários mais duros da Fase de Subida. Tuck, o treinador dos rubro-negros, é uma figura bem conhecida pela sua carreira no futebol profissional, apresentando-se como um líder capaz de transformar um plantel cheio de jogadores em busca de uma oportunidade numa equipa com ambição para competir pelos lugares de promoção. Janú e Herlander Tomé, duas unidades muito móveis, foram os melhores marcadores da equipa na primeira fase.

Real Massamá (2º Classificado da Série G)

A boa carreira da equipa da Massamá na Taça de Portugal ajudou a perceber que um grupo de jovens, conduzidos por um treinador que também vai tendo uma carreira ascendente, Filipe Martins, se pode tornar num adversário bastante incómodo. E apesar de se cruzar com equipas com médias de idade bastante superiores, não será de espantar ver o Real na luta. Tal como o seu companheiro de Série, o Real conseguiu o seu apuramento a ter na qualidade defensiva a sua força principal. A saída do guarda-redes Filipe Mendes, que regressou ao Belenenses, poderá no entanto ser um dado a considerar à entrada para a Fase de Subida. Érico Castro, com 9 golos, é o melhor marcador da equipa.

Farense (1º Classificado da Série H)

Não haverá quem não coloque os Leões de Faro como um dos principais candidatos a garantir a subida de divisão. Depois de uma queda nos infernos do futebol distrital, o Farense vem subindo, de novo, a escada do futebol nacional, apresentando argumentos para poder regressar às divisões profissionais. Lázaro Oliveira é um técnico com experiência a esse nível e conduz um plantel com várias referências bem conhecidas, como Jorge Ribeiro, Neca, Diogo Melo ou António Livramento, para além do guarda-redes australiano Caleb. Jorge Ribeiro é, aliás, o melhor marcador da equipa, graças à qualidade do seu remate. A nível de talento ofensivo, o Farense será das equipas mais apetrechadas desta Fase. No entanto, com um grupo com tanta veterania, poderá acabar por pagar mais caro o aumento do ritmo dos jogos perante adversários mais fortes.

Louletano (2º Classificado da Série H)

A equipa de Loulé é outros dos plantéis com muita juventude, em busca de um regresso ao futebol profissional que, para este clube, é uma memória já distante. Ivo Soares foi guarda-redes em diferentes equipas algarvias e conhece bem a realidade do futebol local, reconhecendo alguma dificuldade que pode surgir no confronto com equipas de nível mais alto. Ainda assim, com muitos jogadores a poderem ter aqui um trampolim para o futebol profissional, espera-se um estilo de jogo que possa ser atrativo para quem acompanhar os seus jogos. O plantel viu sair o lateral-esquerdo Rafael Floro, mas mantém Youssouf Sow, que marcou 15 golos na primeira fase.

O Torrense começa a participação nesta Fase de Subida a jogar fora, no terreno do Real Massamá, no próximo domingo, pelas 15 horas, estreando-se em casa no dia 19 de fevereiro, com uma receção ao Fátima.

Pode seguir Luís Cristóvão no Facebook (https://www.facebook.com/luis.cristovao.desporto/) ou no Twitter (https://twitter.com/luis_cristovao)

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.