publicidade

“Candidaturas Independentes, Mudança ou Continuidade?”

A discussão do papel dos independentes nas próximas autárquicas foi o mote para o animado debate que teve lugar no auditório da Junta de Freguesia de Santa Maria, São Pedro e Matacães em Torres Vedras na passada terça-feira, dia 11 de Julho.

Os convidados (Paulo de Morais, Maria Teresa Serrenho e Mário Frota, dirigentes da Frente Cívica) trouxeram uma leitura muito crítica do actual estado das autarquias em Portugal.

Paulo de Morais denunciou a corrupção nos pelouros de Urbanismo das Câmaras municipais, chegando a comparar os negócios imobiliários ao tráfico de droga, nos seus esquemas de valorização ilegal de solos. Ainda teve tempo para qualificar as Câmaras como as maiores agências de emprego de boys partidários.

Já Mário Frota condenou os negócios de concessão de água a privados que – segundo diz – prejudicam os consumidores. Lamentou-se ainda da falta de protecção dos consumidores em quase todos os concelhos de Portugal.

Maria Teresa Serrenho, que iniciou o debate com uma nota mais optimista, defendeu o direito de todos os Cidadãos a intervir, através de movimentos não partidários, na vida dos seus Concelhos e Freguesias. Lamentou as dificuldades que são colocadas aos independentes, quer nas candidaturas, quer no exercício das suas funções. Teresa Serrenho alertou, no entanto, para o perigo dos falsos independentes.

Presentes na audiência alguns candidatos independentes às próximas eleições autárquicas em Torres Vedras, com destaque para o candidato à Presidência da Câmara pelo Torres nas Linhas (TnL), António Fernandes de Oliveira.

A iniciativa conjunta foi levada a cabo pela Frente Cívica e pela Associação ACTA, cujo presidente, Jorge Nunes, abriu e encerrou a sessão, congratulando-se com a elevada participação e com a qualidade do debate.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.