Autárquicas: PSD das Caldas da Rainha retira confiança política a presidente de junta
publicidade

A Comissão Política do PSD das Caldas da Rainha retirou a confiança política a Vítor Marques, presidente de uma freguesia a que concorreu nas listas daquele partido e que anunciou agora a sua candidatura à Câmara como independente.

Vítor Marques “deixa naturalmente de ter a confiança política”, anunciou a Comissão Política da Secção do PSD Caldas da Rainha, num comunicado em que informa que o atual presidente da União de Freguesias de Nossa Senhora do Pópulo e S. Gregório deixa de representar o partido e aquele “projeto autárquico em qualquer função política em que pretenda manter funções”.

A decisão da concelhia social-democrata decorre do anúncio da candidatura de Vitor Marques à presidência da Câmara das Caldas da Rainha, como independente, depois de nas últimas duas eleições autárquicas ter concorrido à junta, onde cumpre o segundo mandato, como independente eleito nas listas do PSD.

No comunicado, publicado na rede social Facebook, o PSD, reconhece a candidatura de Vitor Marques como “o exercício de um direito de cidadania do cidadão que, durante oito anos, aceitou a confiança, representou e liderou o PSD e um projeto partidário numa autarquia”.

A concelhia não esconde, porém, ter sido “com surpresa” que assistiu “ao repentino e unilateral desvincular de um projeto coletivo que tem merecido a confiança da grande maioria dos caldenses”, optando Vitor Marques “por assumir um projeto pessoal”.

Considerando que a candidatura independente será “oponente” da lista que o PSD irá apresentar, e sem que se tenha verificado, por parte de Vitor Marques, “qualquer iniciativa de desvinculação formal” do partido, a concelhia entendeu, assim, retirar a confiança política ao autarca.

Contactado pela Agência Lusa o presidente da concelhia, Daniel Rebelo, afirmou que Vitor Marques “tem legitimidade para continuar no cargo de presidente da união de freguesias, para o qual foi democraticamente eleito”, mas defendeu não fazer “qualquer sentido que continue a integrar o grupo do PSD, na Assembleia Municipal, nem a representar o PSD na Associação Nacional de Freguesias (Anafre)”.

Daniel Rebelo esclareceu ainda que a retirada de confiança se restringe a Vitor Marques, mantendo o PSD a confiança política “nos restantes elementos da Assembleia de Freguesia”, eleitos na mesma lista e dos quais três elementos subscreveram um comunicado em que oito dos nove presidentes de junta de freguesia eleitos pelo PSD no concelho das Caldas da Rainha manifestam apoio à recandidatura do atual presidente da Câmara, Fernando Tinta Ferreira, nas próximas eleições autárquicas.

A Lusa tentou, sem sucesso, obter mais esclarecimentos por parte de Vitor Marques, empresário, de 55 anos, que apresentou no dia 01 a sua candidatura como independente, num projeto que terá, como primeiro candidato à Assembleia Municipal o médico e antigo diretor clínico do Hospital das Caldas da Rainha, António Curado.

Esta foi a segunda candidatura anunciada no concelho das Caldas da Rainha, depois de o PS ter assumido que vai candidatar à liderança da Câmara o atual vereador Luis Patacho.

publicidade

Artigo anteriorConcelho de Torres Vedras regista com 110 casos ativos de infeção por SARS-CoV-2
Próximo artigoCâmara de Torres Vedras cede património desportivo público ao Torreense
Agência Lusa
A Lusa é a maior produtora e distribuidora de notícias sobre Portugal e o mundo, em Língua Portuguesa. A Lusa acompanha a atualidade nacional e internacional a cada segundo, e distribui informação em texto, áudio, foto e vídeo. A rede Lusa de correspondentes cobre geograficamente todo o país e está presente em 29 de países do mundo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui