Bombeiros de Torres aderem ao protesto da Liga mas
publicidade

“Esta decisão em nada, nem em circunstância alguma, afetará o devido socorro urgente à população a quem servimos, tanto em situações de emergência de saúde como no combate ao fogo”.

No domingo 9 de dezembro, o Conselho Nacional da Liga dos Bombeiros Portugueses anunciou que ia abandonar a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) e suspender “toda a informação operacional” aos comandos distritais da Proteção Civil solicitando “de imediato” que todas as associações e corporações de bombeiros voluntários cumpram “a decisão tomada legitimamente” por aquele órgão.

A Associação dos Bombeiros Voluntários de Torres Vedras, em comunicado revelou estar “solidária com todos os Bombeiros Portugueses e suas Associações e subscreve as legitimas preocupações e reivindicações apresentadas pela Liga de Bombeiros Portugueses (LBP) junto do Governo de Portugal”.

Apesar dos Bombeiros de Torres Vedras cumprirem com a indicação da LBP e não informarem o respetivo Comando Distrital de Operações de Socorro sobre as ocorrências a que são chamados, garantem que o socorro às populações não está em causa.

“Esta decisão em nada, nem em circunstância alguma, afetará o devido socorro urgente à população a quem servimos, tanto em situações de emergência de saúde como no combate ao fogo”.

Este cortar de relações entre os Bombeiros e o Governo começou em outubro, com uma proposta de lei orgânica para a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) que não tem nenhuma das ideias apresentadas pela Liga dos Bombeiros Portugueses.

A Liga dos Bombeiros Portugueses quer uma “direção nacional de bombeiros, autónoma independente e com orçamento próprio”, um comando autónomo e um cartão social do bombeiros, como foi aprovado este sábado (dia 8) em Santarém numa reunião do Conselho Nacional da LBP.”

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, considerou “absolutamente irresponsável que estruturas que integrem a ANPC não reportem ao sistema, já que põe em causa a coordenação de meios”. A LBP enviou um esclarecimento às populações garantindo que está aberta ao diálogo, sendo que o protesto irá decorrer “até informação em contrária transmitida pelo comando” e que “o socorro não está minimamente em causa”.

“Na senda das recentes palavras do Senhor Presidente da República, e conscientes da responsabilidade acrescida de sermos a Sócia n.º 1 da Liga dos Bombeiros Portugueses, apelamos ao Governo no sentido da procura de um entendimento profícuo e duradouro para com os Bombeiros de Portugal, quanto às suas aspirações legitimas e quanto à dignificação do seu papel enquanto pilar essencial da protecção civil em Portugal”, apelam os Bombeiros de Torres Vedras em comunicado.

Crédito de Imagem: FB Bombeiros Torres Vedras

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here