O presidente da câmara de Torres Vedras, Carlos Miguel, admitiu na segunda-feira retirar o Estádio Manuel Marques ao Torreense se a SAD, vendida a um empresário chinês, deixar de apostar na formação de jovens do concelho.

“O campo do Manuel Marques é propriedade da câmara municipal e, por isso, vai ter de servir os interesses dos torrienses. Se a SAD continuar a formar jovens do concelho terá o nosso apoio. Se não servir esse interesse, terá de ir à procura de outro campo”, afirmou na assembleia municipal Carlos Miguel, que não reuniu ainda com o novo presidente da SAD.

No início do mês, o empresário chinês Qi Chen, presidente do clube chinês Oriental Dragon FC, passou a ser o novo acionista maioritário da SAD do Torreense, ao adquirir 70% das suas ações.

“O grupo chinês investiu na SAD e tornou-se o acionista maioritário”, confirmou à agência Lusa o presidente do clube, e ex-líder da SAD, Joaquim Carlos, sem especificar o valor do negócio, que surgiu pelo facto de a China estar a apostar no futebol e na formação de jogadores.

O investimento tem como objetivo formar jovens chineses no clube, integrando-os nas equipas juniores e principal, que integra o Campeonato Nacional de Seniores (terceiro escalão).

Além de prever a possibilidade de venda e compra de jogadores de ambos os países, a entrada de capital chinês vem “garantir a continuidade e a estabilidade financeira do clube”, disse Joaquim Carlos, esclarecendo que, apesar de não ter dívidas, o clube possui mais despesas do que receitas.

Além de Qi Chen, empresário há vários anos radicado em Portugal e que comprou 70% do capital social, a SAD é composta por mais 33 acionistas.

Joaquim Carlos adiantou que o clube vai começar a receber os primeiros jovens chineses no início da época 2015/2016, para a qual o maior acionista não ambiciona ainda qualquer subida de divisão.

Qi Chen foi responsável pela transferência para o Benfica do chinês Yu Dabao, que está agora ao serviço de um clube do seu país, e pela criação há quatro anos do Oriental Dragon FC, cujos jogadores treinam no complexo do Real Sport Clube de Massamá.

O empresário é também dono da Wsports Seven, empresa que criou, em parceria com as associações de futebol de Lisboa e Setúbal, a “Future Stars Football League” e a “Liga Chinesa”, uma vez que grande parte dos jovens não são maiores de idade e não podem estar inscritos na Federação Portuguesa de Futebol.

Os jogos realizam-se durante a semana e contam com a participação de mais de uma dezena de clubes daqueles dois distritos.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here