Câmara de Torres Vedras lança concurso de 2,3ME para centro Escolar do Turcifal
publicidade

Em A-dos-Cunhados e no Turcifal existem escolas “centenárias”, com salas “sem condições” e sem refeitórios e outros espaços comuns necessários às exigências atuais e “dispersas”.

A Câmara de Torres Vedras, no distrito de Lisboa, decidiu ontem, por unanimidade, lançar um concurso público para a construção do Centro Escolar do Turcifal, no valor de 2,3 milhões de euros.

A empreitada vai decorrer durante 18 meses, após ser consignada, de acordo com a proposta, que foi aprovada na reunião pública, realizada na freguesia do Turcifal, e que a agência Lusa teve acesso.

A autarquia repartiu ainda a despesa por 2019 (388 mil euros), 2020 (1,5 milhões de euros) e 2021 (388 mil euros).

Há um ano, o município anunciou um plano de investimentos, no valor de 33 milhões de euros, para construir 10 novos centros escolares até 2021.

“Neste mandato, o grande investimento vai ser na requalificação das escolas, porque não podemos continuar a ter uns alunos em escolas modernas e outros em escolas antigas sem condições”, afirmou na altura à agência Lusa a vice-presidente da Câmara, Laura Rodrigues.

A autarquia contraiu um empréstimo de cerca de oito milhões de euros para construir os três primeiros centros escolares do plano, tendo lançado concurso para no Turcifal e outro na Póvoa de Penafirme (dois milhões de euros), enquanto o de A-dos-Cunhados (quatro milhões de euros) aguarda pelo procedimento.

Segundo a autarca, o município recorreu à banca para concretizar o investimento, “não havendo financiamento comunitário e, uma vez que as contas estão equilibradas, há capacidade de endividamento, sem comprometer outros investimentos”.

Em A-dos-Cunhados e no Turcifal existem escolas “centenárias”, com salas “sem condições” e sem refeitórios e outros espaços comuns necessários às exigências atuais e “dispersas”.

Os alunos são obrigados a almoçar em espaços provisórios instalados nas escolas ou em associações locais, por falta de refeitório.

Na Póvoa de Penafirme, no litoral da freguesia de A-dos-Cunhados/Maceira e do concelho, a população escolar tem vindo aumentar e a atual escola não tem capacidade para tantos alunos, motivo pelo qual uma turma tem aulas numa sala cedida pelo Externato de Penafirme, explicou a também vereadora da Educação.

Os novos centros escolares vão estar equipados com refeitórios, centro de recursos, ginásios e salas dotadas de quadros interativos e outras tecnologias adaptadas à realidade atual do ensino/aprendizagem.

O novo centro escolar de A-dos-Cunhados vai ter 14 salas de aula com capacidade para cerca de 280 alunos do pré-escolar e primeiro ciclo do ensino básico.

As novas instalações vão dispor de oito salas de aula para 160 alunos, na Póvoa de Penafirme, e nove salas para 180 alunos no Turcifal.

Depois destes três, vão seguir-se os centros escolares da Silveira (quatro milhões de euros), Ramalhal (3,4 milhões de euros), Maxial (2,1 milhões de euros), Sarge (1,5 milhões de euros), Freiria (3,2 milhões de euros) e dois na cidade de Torres Vedras, de 3,7 e 3,1 milhões de euros, para substituir as escolas existentes.

Nos últimos onze anos de vigência da Carta Educativa, dezasseis escolas foram construídas de raiz ou requalificadas.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here