publicidade

O município de Torres Vedras aprovou hoje o acordo que permite receber do Estado o edifício do ex-Hospital do Barro, bem como o plano de valorização do espaço, onde quer vir a instalar um Campus da Saúde.

O acordo de transferência de competências de gestão daquele património, a que a agência Lusa teve acesso, estipula que o imóvel é cedido pelo Estado a esta autarquia do distrito de Lisboa sob a forma de regime de comodato por um prazo de 50 anos.

A cedência foi autorizada pela secretaria de Estado do Tesouro na condição de a câmara municipal efetuar obras de recuperação no prazo de cinco anos após o acordo, ter um plano de valorização para o espaço e assegurar as despesas não só com a requalificação, mas também com a conservação e manutenção do imóvel, avaliado em 4,5 milhões de euros.

O executivo municipal aprovou ainda o plano de valorização para aquelas instalações, prevendo investir aí 1,5 milhões de euros em obras de requalificação, já que o imóvel está sem qualquer utilização desde 2015.

Segundo o plano, a que a Lusa teve acesso, a autarquia pretende aí criar um Campus da Saúde, tendo para o efeito estabelecido uma parceria com a Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa em junho de 2019.

O Campus da Saúde vai ter cuidados de saúde à população interligados com a investigação e ensino.

O plano do município prevê a instalação de uma Unidade de Saúde Familiar, uma Unidade de Medicina e Reabilitação Multidisciplinar, um polo académico de cuidados de saúde associado à investigação médica, com salas de investigação, salas de aula, auditório e laboratório, e ainda uma área de gestão e administração.

O Campus da Saúde vai “acolher e formar, num ambiente de prática clínica, alunos de medicina, médicos e outros profissionais de saúde e criar as circunstâncias ideias para a necessária e indispensável formação não apenas de profissionais de saúde, mas também de docentes e formadores”, refere o plano.

Em conferência de imprensa, os vereadores do PSD disseram hoje que são favoráveis ao projeto, por defenderem que o imóvel deverá continuar associado à saúde.

O município pretende criar em breve uma associação, a quem vai no futuro entregar a gestão do Campus da Saúde.

Em junho de 2019, a Universidade de Lisboa e o município assinaram um acordo para criar o campus ligado à investigação em medicina e ciências biomédicas.

O antigo Hospital Dr. José Maria Antunes Júnior, também conhecido como Hospital do Barro, tem sido alvo de furtos desde que, em 2015, o Centro Hospitalar do Oeste encerrou aí o internamento, consultas e exames de diagnóstico do serviço de Pneumologia.

Do século XVI, o edifício começou por alojar ordens religiosas, no século XIX passou a ser um asilo e, durante todo o século XX, sanatório, tendo sido a última unidade de internamento especializada em doentes com tuberculose em Portugal, ao deixar de receber doentes com tuberculose multirresistente, em 2008, por falta de condições.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here