Foto: ENAD

Portugal vai receber pela primeira vez o Mundial de rali aéreo, entre 04 e 10 de setembro de 2016, no Aeródromo de Torres Vedras, que de hoje até domingo acolhe um treino de preparação da competição.

Esta prova permite “colocar Portugal no circuito mundial aeronáutico e é importante para a praia de Santa Cruz [onde se localiza o aeródromo] porque vai atrair o chamado turismo desportivo, provando que o aeródromo consegue ser dinamizador da economia local”, disse à agência Lusa João Francisco, do Aeroclube de Torres Vedras.

O dirigente adiantou que são esperadas em Santa Cruz, em 2016, cerca de 400 pessoas, entre competidores, acompanhantes, organização e ‘staff’ técnico das equipas. A prova do circuito aeronáutico deverá juntar 70 equipas de mais de 20 países dos continentes europeu, africano, americano e asiático, compostas por pilotos da aviação militar e outros das linhas aéreas comerciais.

“É uma oportunidade para trazer turistas que conhecem pouco Portugal”, acrescentou.

O Aeroclube de Torres Vedras, em representação de Portugal, candidatou-se em 2012 à organização da prova junto da Federação Aeronáutica Internacional, no sentido de afirmar o seu aeródromo, o mais ocidental da Europa, enquanto Centro Nacional de Aviação Desportiva e integrar a competição nos 85 anos do aeródromo e dos 70 do aeroclube.

“Este aeródromo tem características únicas, não só por ter unidades hoteleiras a menos de dez minutos de distância, por ser o único aeródromo civil a nível nacional com duas pistas, o que facilita a vinda de provas de grande dimensão, como é o caso desta, e é o mais próximo do aeroporto de Lisboa”, explicou o dirigente.

A competição de rali aéreo consiste em provas sem ajudas à navegação, de cumprimento de horários na passagem de pontos pré-estabelecidos, de observação e de aterragem de precisão numa estrutura de apenas dois metros, explicou João Francisco.

Durante os dias do campeonato, além da competição, o aeródromo vai acolher espetáculos de acrobacia aérea, concertos de música e ‘workshops’ sobre aeronáutica.

Até lá, recebe de hoje a domingo o primeiro treino da prova, com a participação das seleções de França, Chipre e Portugal, num total de 12 equipas.

O chamado “training camp” tem como finalidade prever falhas organizativas no que respeita à competição propriamente dia, com provas aéreas a decorrerem entre sexta e sábado, mas também validar as condições meteorológicas e do solo.

A prova serve também de preparação para a equipa portuguesa que vai participar em dezembro nos Jogos Aéreos do Mundo [equivalentes aos Jogos Olímpicos], no Dubai, e faz parte do Campeonato Nacional de rali aéreo, a que concorrem quatro equipas.

O segundo e último treino do mundial está agendado para maio de 2016.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here