Caravelas-portuguesas e outros organismos em praias do concelho de Torres Vedras
publicidade

Caso seja picado, adote os procedimentos indicados pelo GelAvista. Saiba mais aqui.

Vários organismos gelatinosos têm surgido nas praias do concelho de Torres Vedras. Em causa estão as espécies Physalia physalis (caravela-portuguesa) – muito urticante e bastante comum nos Açores e na Madeira, ocorrendo na costa continental com pouca frequência – e Velella velella – de tentáculos pequenos e ligeiramente urticantes, pode formar agregados densos em vastas áreas de areal ou à superfície da água.

Caso seja picado, adote os procedimentos indicados pelo GelAvista (programa responsável pela monitorização dos organismos gelatinosos na costa portuguesa) para picadas de organismos gelatinosos:

  • Com cuidado e sem esfregar, lave a zona afetada com água do mar;

  • Recorrendo a um cartão de plástico (como um cartão multibanco ou uma carta de condução), remova os tentáculos que poderão ainda permanecer na pele;

  • Se possível, aplique bicarbonato de sódio misturado, em iguais quantidades, com água do mar.
    No caso de ter sido picado por uma caravela-portuguesa, não utilize bicarbonato de sódio. Aplique apenas vinagre;

  • Aplique bandas de gelo para aliviar a dor. Não aplique diretamente na pele. Enrole as bandas num pano, numa t-shirtou numa toalha.
    No caso de ter sido picado por uma caravela-portuguesa, substitua as bandas de gelo por bandas quentes ou água quente, de forma a aliviar a dor;

  • Consulte o seu médico ou farmacêutico.
    No caso de ter sido picado por uma caravela-portuguesa, obtenha assistência médica o mais rapidamente possível.

Não use água doce, vinagre, álcool ou amónia, nem coloque ligaduras.

Mesmo quando os organismos estão mortos, as células urticantes mantêm-se ativas. Não toque nos tentáculos.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here