publicidade

CARNAVAL DE TORRES VEDRAS 2018 SUPERA TODAS AS EXPETATIVAS

A festa foi de arromba. Como sempre acontece no “Carnaval mais Português de Portugal”. Este ano, porém, os números da folia torriense são avassaladores. Cerca de 400 mil pessoas visitaram Torres Vedras e mergulharam num Carnaval que atrai cada vez mais foliões, portugueses e estrangeiros. O evento traduziu-se, portanto, em mais um sucesso que muito honra a cidade e todos quantos ajudam a concretizar uma festa que é já uma referência na agenda turístico-cultural do país.

Com um orçamento de 680 mil euros em 2018, o Carnaval de Torres Vedras é uma festa ímpar na folia carnavalesca nacional. E este ano, os números traduzem essa realidade. No Corso Escolar participaram 8000 pessoas entre crianças, professores e auxiliares, em representação de 72 estabelecimentos de ensino. O Baile Tradição reuniu 850 seniores de 40 entidades dos concelhos de Torres Vedras, Lourinhã, Sobral de Monte Agraço e de Mafra. Nota também para a sempre aguardada eleição da Miss Matrafona, que este ano contou com 44 concorrentes, num desfile que juntou milhares de pessoas. Um dos momentos altos e muito aguardado pelo público foi o Concurso de Grupos de Mascarados. Cerca de 2200 pessoas, de 41 grupos concorrentes, encheram de cor e de criatividade o primeiro Corso Noturno.

No final, 4 desses grupos conquistaram os prémios que estavam em jogo:

Prémio Grupos:

1º Lugar – “Escondidinhos no Buraquinho”

2º Lugar – “Suadas e Safadas”

3º Lugar – Foliões Cá do Sítio – Nadafolião”

Prémio Público:

1º Lugar – “Alforrecas Gradilenses”

2º Lugar – “Escondidinhos no Buraquinho”

3º Lugar – “Suadas e Safadas”

Prémio Confraria:

1º Lugar – “Suadas e Safadas”

Mas, para lá dos prémios, o Carnaval de 2018 teve grandes novidades. Na noite da inauguração do Monumento, foi lançada a App do Carnaval de Torres Vedras. Uma ferramenta que teve como principal objetivo servir de apoio e de guia a todos os foliões. Aos torrienses e, sobretudo, a todos os que nos visitaram. A missão foi cumprida, uma vez que a App se traduziu num enorme sucesso. Um estrondoso êxito foi igualmente o “Samba da Matrafona”. Lançada um mês antes da folia, a canção nunca mais parou de tocar nas rádios, nas redes sociais, nas televisões e em todos os corsos da folia, acabando por se tornar no hino do Carnaval de Torres de 2018. A autora, Susana Félix, por sua vez, transformou-se numa das musas do Carnaval deste ano. A cantora torriense viria a ter o seu momento alto no segundo Corso Noturno quando subiu ao palco do TóCandar e cantou o “Samba da Matrafona”, perante uma multidão eufórica. Essa noite ficou igualmente marcada pelo sempre divertido Corso Trapalhão. Vários Carros Espontâneos, plenos de criatividade, encheram as ruas do desfile com humor e muita sátira, fazendo as delícias de todos.

Aquele que para muitos é “o melhor Carnaval do mundo” ficou marcado, este ano, pelos aniversários de dois grupos cuja História se confunde com a História do próprio evento: as Lúmbias – um dos grupos de Matrafonas mais emblemáticos da folia torriense – celebraram 20 anos de existência; a Banda OSGA, por sua vez, assinalou 30 anos de vida e é já impossível imaginar o Carnaval sem o ritmo da sua presença.

Sob o tema “Mares e Oceanos”, o Carnaval de Torres Vedras teve, este ano, várias visitas ilustres. O evento, que muito a propósito teve o Alto Patrocínio do Ministério do Mar, contou com a presença da Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino. Com ela, esteve igualmente Eduardo Cabrita, Ministro da Administração Interna, e Maria Joaquina Matos, presidente da Câmara Municipal de Lagos, cidade geminada com Torres Vedras. Aliás, as cidades de Wellington, de Inglaterra, e de Villenave D’Ornon, de França – ambas geminadas com Torres Vedras – também estiveram representadas no Carnaval torriense. Ainda a nível internacional, o embaixador de Israel, Raphael Gamzou, também não perdeu a oportunidade de viver de perto a festa carnavalesca.

Uma outra presença que se destacou, do primeiro ao último dia de folia, foi a de Eduardo Gageiro. O conceituado fotógrafo português – que já conquistou cerca de 300 prémios – misturou-se entre os foliões e olhou para o Carnaval torriense através da sua perspicaz objetiva.

Voltando aos números, o Carnaval de Torres Vedras também se fez de segurança. E nessa vertente, ao longo dos 5 dias de festa, um total de 400 elementos da PSP e 300 militares da GNR asseguraram que a folia decorria sem sobressaltos. Para além destas forças policiais, outras entidades estiveram envolvidas durante todo o evento, num total de cerca de 500 elementos, divididos por Serviço Municipal de Proteção Civil, Bombeiros Voluntários de Torres Vedras, Cruz Vermelha, Administração Regional de Saúde e empresa de segurança privada. No final, o balanço é totalmente positivo uma vez que nada de grave há a registar.

Em matéria ambiental e porque o Carnaval de Torres Vedras é um Eco Evento, foram enviados para reciclagem aproximadamente 5000 kg de resíduos e foram recolhidos cerca de 11000 kg de materiais provenientes das varreduras e/ou das recolhas seletivas de embalagens.

O Carnaval torriense foi, mais uma vez, um espetáculo grandioso. Um sucesso que também se traduz na cobertura jornalística dada à festa, antes e durante o evento. Com efeito, TVI (televisão oficial), RTP, SIC, CMTV e A Bola TV estiveram em Torres Vedras e levaram o nosso Carnaval a todo o país. Mostraram os bastidores, os artistas que fizeram os carros, os anónimos que tanto contribuem para a festa na organização de grupos e na elaboração de máscaras. E mostraram os Corsos, com os 8 Carros Alegóricos, os Cabeçudos, os Ministros, os Fidalgos, as famosas Matrafonas e os demais grupos espontâneos que fazem do carnaval de Torres Vedras o mais participativo de Portugal. Mas a cobertura jornalística e mediática não se ficou por aqui: agências noticiosas, sites, redes sociais, imprensa local e regional e até um canal de TV do Irão estiveram na festa carnavalesca.

Está feito o balanço da maior festa do ano em Torres Vedras. O Carnaval de 2018 foi, como sempre, um evento feito de folia, diversão, ritmo, alegria e bom humor. Quem por cá passa, volta sempre. Porque este é um evento ímpar, cheio de tradição, feito pelo povo, para o povo.

Hoje, o sentimento é já de uma certa nostalgia. Em 2019, o Carnaval voltará para mais uma festa de arromba com todos os foliões. Antes, dia 23 de junho, temos o Carnaval de Verão, em Santa Cruz.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.