CDU de Torres Vedras alerta para deficiente tratamento de esgotos na Maceira
publicidade

A CDU de Torres Vedras alertou hoje para o “deficiente” tratamento de águas residuais na localidade da Maceira, mas a Câmara Municipal e o Hotel Golf Mar rejeitam que haja esgoto a chegar à praia sem tratamento.

Em comunicado, a CDU afirma que a Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) possui “lacunas no tratamento dos esgotos domésticos da localidade”, motivo pelo qual emanam “maus cheiros”, que incomodam os moradores que residem aí perto e quem por lá passa.

Contactado pela Lusa, o presidente da Câmara Municipal, Carlos Bernardes, esclareceu que o município não recebeu qualquer reclamação de maus-cheiros, mas, mesmo assim, pediu à empresa Águas de Lisboa e Vale do Tejo para verificar se a ETAR está a funcionar com falhas.

A CDU alertou também que os esgotos do Hotel Golf Mar são “encaminhados para o mar após uma passagem por uma misturadora” e que as canalizações por onde são feitas essas descargas são “regularmente quebradas pelo efeito do deslizamento de terras”, exigindo a rápida ligação do saneamento do hotel à rede municipal.

José Pedro Fezas Vital, administrador da Empresa Águas do Vimeiro, proprietária da unidade hoteleira, rejeitou que não haja tratamento do saneamento, justificando que as águas residuais passam primeiro por uma ETAR do próprio hotel, que está autorizada a funcionar pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA) até que seja feita a ligação do saneamento à rede municipal.

Além disso, esclareceu, o hotel está obrigado a fazer análises às águas da ETAR pela APA que, por sua vez, também faz análises às águas balneares e “não tem havido problemas de contaminação”, motivo pelo qual a praia de Porto Novo tem tido todos os anos bandeira azul.

Em relação à conduta existente sobre a arriba, o responsável esclareceu que “não é verdade” que haja esgoto a correr para o mar, que existiram duas derrocadas nos últimos dois anos e que só nessas ocasiões ocorreram descargas, tendo a tubagem sido reposta poucos dias depois.

José Pedro Fezas Vital adiantou que, desde 2009, o hotel aceitou ligar o seu saneamento à rede municipal, desde que não tenha de suportar na íntegra todos os custos dessa ligação, que obrigará à construção de uma estação elevatória, já que a atual não tem capacidade para o caudal de saneamento daquela unidade.

Câmara e hotel estão a trabalhar numa solução definitiva para o problema, que passa pela ligação à rede municipal de saneamento e que poderá surgir até 2017, disse à Lusa o presidente da câmara.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.