Centro Hospitalar de Leiria quer melhorar qualidade assistencial
publicidade

 Licínio de Carvalho, que foi reconduzido como presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar de Leiria (CHL) para o triénio 2020/2022, tem como uma das prioridades melhorar a qualidade assistencial.

“Os principais objetivos para o triénio passam por concretizar o Plano Estratégico do CHL, melhorando o acesso aos cuidados de saúde, criando condições de trabalho e de atendimento compatíveis com os melhores padrões de conforto e qualidade assistenciais, num quadro de crescimento que queremos manter, de forma sustentada e alinhada com a missão importante que cumpre ao CHL”, adiantou agência Lusa Licínio de Carvalho.

Licínio de Carvalho assumiu a presidência depois da renúncia de Helder Roque ao cargo há cerca de seis meses. O responsável admite que a recondução no cargo é um voto de confiança da tutela.

Da equipa anterior, entraram dois novos vogais executivos: Salvato Feijó, diretor do Serviço de Pneumologia, que irá assumir a função de diretor clínico, e Inês Carlos.

“A equipa foi reformulada e só penso em ganhar com a entrada dos novos elementos e com a equipa no seu todo, no sentido de corresponder às expectativas que o Conselho de Administração se vai esforçar por responder da melhor forma possível”, afirmou Licínio de Carvalho.

Transitam da anterior equipa Emília Fael, com funções de enfermeira diretora, e Alexandra Borges, vogal executiva.

Do Plano Estratégico do CHL fazem parte um conjunto de investimentos de 5,2 milhões de euros para 2020, que serão alocados a um conjunto de obras nas três unidades de saúde que integram o CHL: Hospital de Santo André, em Leiria, Hospital Bernardino Lopes de Oliveira, em Alcobaça, e Hospital de Pombal.

No plano de investimentos para este ano está contemplada a construção da Unidade de Internamento de Cuidados Paliativos no Hospital de Alcobaça, com o valor de 606 mil euros.

Em Leiria, preveem-se obras para a alteração do Bloco Operatório, num investimento de 464 mil euros para 2020, a que acresce o mesmo valor em 2021.

Nesta unidade de saúde estão projetadas ainda intervenções na reabilitação estrutural do Serviço de Medicina Física e de Reabilitação, estimadas em 474 mil euros (acresce 474 mil euros para 2021), a reorganização estrutural do Serviço de Pediatria, com um custo previsto de 369 mil euros, a remodelação e ampliação do Serviço de Urgência Geral, orçado em cerca de 336 mil euros (acresce 336 mil euros para 2021), a remodelação e ampliação do Hospital de Dia, com o valor de 252 mil euros, e a ampliação da Unidade de Ambulatório de Pneumologia, orçada em 217 mil euros.

No Hospital de Pombal está prevista a construção da Unidade de Internamento de Cuidados de Convalescença, num investimento de cerca de 400 mil euros (acresce 400 mil euros para 2021).

Ao nível da aquisição de equipamentos, o plano prevê o reforço de apetrechamento do Serviço de Imagiologia do HSA, com a compra de um angiógrafo, estimado em 861 mil euros, a aquisição de duas salas de raio-X, orçada em 307 mil euros (acresce 307 mil euros para 2021) e a aquisição de um ecógrafo, estimado em 98 mil euros.

Estão também contemplados a aquisição de equipamento médico-cirúrgico, orçado em 370 mil euros, a compra de equipamento informático, estimado em 100 mil euros, e de um Arco em C portátil com intensificador de imagem para o Bloco Operatório do HSA, com o valor de cerca de 100 mil euros.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here