Centro Hospitalar do Oeste avança com projeto de telerreabilitação
publicidade

O Centro Hospitalar do Oeste (CHO) iniciou um projeto de telerreabilitação para retomar a fisioterapia de doentes com patologia crónica no ombro e evitar deslocações aos hospitais por causa da pandemia de covid-19, foi hoje anunciado.

O projeto arrancou “nesta fase no hospital de Caldas da Rainha e apenas para os doentes com patologia crónica no ombro, mas a ideia é alargar a outras patologias e também ao hospital de Torres Vedras”, explicou a presidente do conselho de administração do CHO, Elsa Baião, à agência Lusa.

O CHO é o primeiro centro hospitalar público do país a implementar a telerreabilitação, segundo a informação divulgada.

Com a pandemia, “o projeto tem a enorme mais-valia de evitar as deslocações dos doentes ao hospital”, evitando o risco de contágio, sublinhou Elsa Baião.

O projeto tem ainda como objetivos aumentar a capacidade de resposta do Serviço de Medicina Física e Reabilitação aos utentes referenciados, garantir o acesso a cuidados de fisioterapia, motivar e capacitar o utente a tornar-se parte ativa do processo de reabilitação, diminuir os custos operacionais institucionais e sociais e potenciar a evolução tecnológica na área de Fisioterapia.

Os tratamentos recomendados para estes utentes assentam num modelo presencial e individualizado, recorrendo a tecnologias, como plataformas digitais e sensores de ‘feedback’, contando o projeto com a parceria de uma ‘startup’ nacional e do Instituto de Telecomunicações de Lisboa.

A tecnologia utilizada permite ao utente realizar exercícios terapêuticos num ambiente de videojogos, com acompanhamento em tempo real pelo fisioterapeuta.

A solução recorre apenas a um sensor não intrusivo, para deteção dos movimentos do utente, conferindo uma grande portabilidade da solução e permitindo ao utente utilizá-la em diferentes locais.

O fisioterapeuta pode acompanhar o progresso do utente através de plataforma ‘online’, o Portal do Fisioterapeuta e o Portal do Paciente.

O Centro Hospitalar do Oeste integra os hospitais das Caldas da Rainha, Torres Vedras e Peniche e detém uma área de influência constituída, a par destes três concelhos, pelas populações de Óbidos, Bombarral, Cadaval e Lourinhã e de parte dos municípios de Alcobaça (freguesias de Alfeizerão, Benedita e São Martinho do Porto) e de Mafra (com exceção das freguesias de Malveira, Milharado, Santo Estêvão das Galés e Venda do Pinheiro).

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here