O Centro Hospitalar do Oeste (CHO) quer implementar nos três hospitais que o integram um projeto de modernização administrativa candidatado a fundos europeus e que representa um investimento de 1,4 milhões de euros, divulgou ontem a instituição.

A candidatura vai permitir “implementar novas ferramentas que facilitem e poupem tempo ao utente” quer na marcação de consultas que nas suas deslocações às três unidades (Caldas da Rainha, Torres Vedras e Peniche) da instituição, refere a administração hospitalar num comunicado enviado às redações.

Relembrar os utentes das suas marcações ou remarcações de consultas através de “um sistema de notificações por SMS” que evitará deslocações aos respetivos hospitais é uma das inovações anunciadas.

Através do Portal do Utente, “vai passar a ser possível ao utilizador monitorizar os seus dados de saúde de forma integrada e ter acesso fácil e rápido aos serviços disponibilizados online”, explicou ainda a administração, exemplificando com situações concretas como “a marcações de consultas, aos pedidos ou renovações de medicação ou a consulta dos registos clínicos, entre outros”.

De acordo com a informação divulgada pelo CHO, será possível aceder ao portal através de computadores fixos e portáteis, ‘smartphones’ e ‘tablets’.

A candidatura prevê ainda a criação de quiosques eletrónicos que “irão permitir a efetivação de consultas, marcação de exames, acesso aos resultados dos exames, o pagamento das taxas moderadoras através do cartão de multibanco”, evitando assim, segundo a administração do CHO, ”filas de espera”.

A digitalização dos processos administrativos e assistenciais é outra das vertentes da candidatura, o que, refere a administração, “facilita a partilha de informação clínica com as restantes entidades de saúde”, que a ela poderão aceder por via eletrónica (com autorização do doente), deixando “de haver a necessidade de os processos clínicos terem existência em Papel”.

O CHO pretende implementar uma plataforma de Telemedicina e de Telerradiologia, solução que, acrescenta, “vai permitir prestações de cuidados de saúde à distância, com todas as condições de segurança clínica, evitando deslocações por parte do utente”.

O projeto foi candidatado ao Sistema de Apoio à Modernização e Capacitação da Administração Pública (SAMA 2020), sendo cofinanciado em 85% pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) e o restante (cerca de 209 mil euros) suportado pelo CHO.

O Centro Hospitalar do Oeste abrange uma população direta de cerca de 295 mil pessoas dos concelhos de Caldas da Rainha, Óbidos, Peniche, Bombarral, Torres Vedras, Cadaval e Lourinhã e de parte dos concelhos de Alcobaça e de Mafra.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here