Centro Social e Paroquial de Torres Vedras vencedor do prémio Renato Valente 2018
publicidade

A entrega do prémio irá realizar-se em dezembro, no Baile da Cruz Vermelha.

O prémio Renato Valente pretende ajudar as instituições particulares de solidariedade social, do Concelho de Torres Vedras, com 3000€, que se inscreveram no concurso até ao
passado dia 16 de Julho.

Perante a analise de um júri independente composto pela vereadora da Câmara Municipal de Torres Vedras, Ana Umbelino; pelo Comandante dos Bombeiros Voluntários de Torres Vedras, Fernando Barão; pela Presidente da Direção da Associação das Antigas Alunas do Instituto de Odivelas, Joaquina Cadete e pelo Coordenador da Comunicação e Angariação de Fundos na Associação Salvador, Tiago Duarte o projeto  “Banco de Ajudas Técnicas” do Centro Social e Paroquial de Torres Vedras foi o grande vencedor da edição de 2018 recebendo assim um montante de 3 mil euros.

A entrega do prémio irá realizar-se em dezembro, no Baile da Cruz Vermelha.

Até ao momento o prémio foi atribuído à Associação Pediátrica do Hospital de Torres Vedras com o projeto de compra um ventilador pediátrico(2015), à APECI com o projeto de aquisição de macas de banho para os seus utentes (2016) e à Associação de Socorros da Freguesia da Carvoeira com a aquisição de nove poltronas ortopédicas para o Centro de Dia (2017).

O ano de 2014 fica marcado pela 1ª edição do Baile da Cruz Vermelha, uma iniciativa social que pretendia angariar fundos para a requalificação do Parque Infantil do Centro Social, Recreativo e Cultural da Maceira, a par desta causa no decorrer do Baile ainda houve tempo para recolha de fundos para apoiar a Ilha do Fogo (afetada pela erupção de vulcões), em Cabo Verde.

O sucesso da primeira edição e a projeção que a iniciativa recolheu fez com que a Direção da Delegação torreense decidisse perpetuar a iniciativa e agregar ao Baile uma causa, sendo que para tal criou o “Prémio Abraçar + uma Causa” que em 2015 teve a sua primeira edição e contou com um júri de renome, sendo que o prémio passa a ser atribuído a uma Instituição sobre proposta de um projeto avaliado pelo júri.

Em 2016 a segunda edição do Prémio conta com uma nova denominação, após o desaparecimento do seu zelador e amigo Renato Valente, a Delegação de Torres Vedras da Cruz Vermelha Portuguesa delibera atribuir o seu nome a este prémio, que tal como este benfeitor fez em vida, permite apoiar outra instituição.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.