Comerciantes das Caldas da Rainha querem videovigilância na cidade
publicidade

A associação de comerciantes das Caldas da Rainha reclamou hoje a instalação de um sistema de videovigilância para evitar atos de vandalismo e para atrair mais visitantes à cidade.

“À semelhança do selo que garante a segurança sanitária, queremos uma chancela que ateste a segurança do nosso território”, defende a ACCCRO – Associação Empresarial das Caldas da Rainha e Oeste numa proposta enviada à câmara para que seja instalado na cidade um sistema de videovigilância.

A instalação de câmaras “no centro da cidade e nas zonas com mais comércio ou património tem sido defendida por muitos associados, perante o aumento dos atos de vandalismo”, disse à agência o presidente da ACCCRO, Luís Gomes.

A associação reclama “uma maior intervenção da PSP na cidade, onde “paredes, portas e vidros de estabelecimentos são recorrentemente grafitados”, considerando que a videovigilância resultará “num aumento da eficácia para a identificação dos autores “destas e de outras práticas que dão uma má imagem e criam a sensação de falta de segurança na cidade”, acrescentou.

A associação não quer “ver replicadas nas Caldas da Rainha ondas de vandalismo, com destruição de estátuas e monumentos, como tem acontecido nos últimos dias quer em Portugal quer noutros países”, tanto mais que, “tratando-se de uma cidade turística e de comércio, é preciso dar garantias aos visitantes de estarem num território seguro”.

Num comunicado enviado à câmara das Caldas das Rainha a associação propõe que o Conselho Municipal de Segurança (do qual faz também parte) discuta a instalação de um sistema de segurança para a cidade e que “as autoridades competentes” avancem com o processo de obtenção de autorização para a sua instalação.

“Importa proteger os bens e as pessoas (tanto aquelas que cá vivem, como aquelas que nos visitam) e tornar propício o ambiente para o comércio e o turismo”, refere o comunicado, sublinhando que “os turistas valorizam cada vez mais os lugares seguros, tornando-se por isso fundamental agir para prevenir incidentes e minimizar atos que entrem em conflito com a paz que todos queremos”.

No comunicado, a ACCCRO defende ainda que, em tempo de pandemia da covid-19, o sistema proporcionaria ainda “um controlo eficaz da ainda não desejada aglomeração de pessoas” nas zonas comerciais.

A ACCCRO tem mais de cem anos e cerca de 1.000 associados abrangendo estabelecimentos comerciais de vários concelhos da região do Oeste.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here