Concurso para a requalificação da Escola Básica da Freiria terminou sem participantes
publicidade

O concurso para a adjudicação da obra de requalificação terminou sem participantes interessados em avançar com o projeto.

O concurso público da Empreitada para Requalificação e Modernização das Instalações da Escola Básica 2,3 de Freiria abriu no dia 3 de janeiro e faz parte da lista de contratos públicos em que o Município de Torres Vedras foi entidade adjudicante.

O concurso para a adjudicação da obra de requalificação terminou sem participantes interessados em avançar com o projeto orçado em cerca de 3,5 milhões de euros, avança o jornal Badaladas.

O projeto prevê a substituição dos pavilhões pré-fabricados colocados provisoriamente há 40 anos e a construção de três novos edifícios. Num ficará situada a biblioteca e salas de aula, noutro as salas de educação visual e, no terceiro, o auditório e salas de música.

De acordo com a vice-presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, Laura Rodrigues, o gabinete jurídico já está a trabalhar para encontrar uma solução dada a urgência de requalificação do estabelecimento escolar em questão.

Segundo o Badaladas, visto que não apareceram candidatos ao concurso, a autarquia já entrou em diálogo com o Ministério da Educação, uma vez que 85 por cento do financiamento advém do Orçamento de Estado.

Recorde-se que o estado grave em que se encontra Escola Básica 2,3 de Freiria já levou vários alunos e pais a manifestar-se. O caso mais recente foi em maio de 2018, quando cerca de duzentos os alunos que fecharam a cadeado a Escola  EB 2-3 de Freiria em forma de protesto pelas más condições. Pais e alunos manifestaram-se no exterior da escola exigindo as obras de requalificação que foram prometidas pelo Ministério da Educação em 2011.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here