Concursos para programação de Leiria Capital da Cultura arrancam no próximo semestre
publicidade

A candidatura começará a ser avaliada em 2021 e a decisão final deverá ser conhecida em 2023.

Os primeiros concursos para programação no âmbito da candidatura de Leiria a Capital Europeia da Cultura 2027 vão ser lançados no próximo semestre, anunciou hoje o presidente do Conselho Estratégico da Rede Cultura, João Bonifácio Serra.

“Vamos fazer os primeiros ensaios de programação para serem efetivados no ano de 2020”, disse hoje o presidente do Conselho Estratégico Rede Cultura 2027 à agência Lusa, anunciando para o segundo semestre do ano “o lançamento dos primeiros concursos por parte das câmaras”.

Em Óbidos, onde participou no “Prelúdio de ideias” com que a Rede Cultura 2027 encerrou hoje um conjunto de encontros com agentes culturais, João Bonifácio Serra afirmou que a Câmara de Leiria, que lidera a candidatura, deverá “lançar os primeiros concursos”, após a realização do segundo Conselho Geral da Rede, previsto “para breve”.

“A partir desse Conselho Geral todas as outras câmaras irão seguir este modelo”, ou seja, “um modelo participado e de mobilidade, que permite aos agentes de vários concelhos apresentarem projetos não só no seu concelho, mas também noutros”.

A metodologia que tornou o projeto “inovador” irá, segundo Bonifácio Serra “marcar a próxima década em termos de programação e de ação criativa no território”, uma vez que põe a trabalhar em rede agentes dos 26 municípios e três comunidades intermunicipais que apoiam a candidatura de Leiria a Capital Europeia da Cultura 2027.

O mais recente exemplo desse trabalho em rede culminou hoje em Óbidos com o encerramento do ciclo “Prelúdios de Ideias em 9 Andamentos”, iniciado em março e que resultou em nove encontros, em nove municípios, sob nove temas relacionados com a cultura e a região.

Os prelúdios “levantaram a definição de perfis de quem devem ser os programadores e curadores” e demonstraram “quais são os agentes com capacidade critica” para ajudar “a construir um projeto que articule as vontades de todo o território”, disse à agência Lusa o coordenador da Rede Cultura 2027, Paulo Lameiro.

As conclusões dos nove encontros vão agora ser compiladas num documento que será entregue ao Conselho Estratégico da rede e que “servirá de base de trabalho para poder definir os caminhos e as áreas em que se deve investir”, rematou.

A Rede Cultura 2027 e a candidatura de Leiria a Capital Europeia da Cultura tem já online uma plataforma que visa congregar todos os agentes culturais com 5.834 quilómetros quadrados e 805.150 habitantes.

Em fase de teste e com lançamento previsto para outubro, está a aplicação móvel (App) Rede Cultura 2027, uma ferramenta que vai ligar, através da plataforma, os agentes e a sua agenda cultural com o público de todo o território.

A Rede Cultura 2027 é constituída por todos os municípios das comunidades intermunicipais da Região de Leiria e do Oeste quatro municípios do Médio Tejo (Ourém, Alcanena, Torres Novas e Tomar), que apoiam a candidatura de Leiria a Capital Europeia da Cultura.

A candidatura começará a ser avaliada em 2021 e a decisão final deverá ser conhecida em 2023.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here