publicidade

O comandante dos Bombeiros Voluntários da Malveira tem sido alvo de contestação por parte dos bombeiros voluntários daquele destacamento.

Agora, as tensões parecem ter-se intensificado, o que levou um grupo de 19 bombeiros a abandonar o seu serviço voluntário.

De acordo com uma fonte dos Bombeiros Voluntários da Malveira, a situação tem vindo a “agudizar-se” desde 2017 e, agora, culminou na decisão de alguns de abandonar os serviços.

O comandante, Miguel Oliveira, é acusado de “não ouvir os bombeiros, quando toma decisões de caráter técnico e operacional, nomeadamente quando terá decidido a reestruturação de uma viatura e a aquisição de outra, sem ouvir as chefias intermédias […] remetendo as chefias para um papel meramente secundário”, segundo a mesma fonte.

Entre outras acusações, relacionadas com má liderança e “assalto ao poder”, Miguel Oliveira vê agora a sua equipa reduzida.

Já a Direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Malveira prontamente respondeu aos receios da população e publicou um comunicado nas redes sociais, referindo que “todos os serviços de alerta da nossa área de atuação se encontram assegurados”.

Comunicado da Direcção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Malveira

Publicado por Bombeiros Voluntários da Malveira em Terça-feira, 1 de setembro de 2020
publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here