Covid-19: Aeronaves sensibilizam população a ficar em casa em Torres Vedras a partir de amanhã
publicidade

 Aeronaves do Aeroclube de Torres Vedras vão sobrevoar o concelho entre quinta-feira e segunda-feira com alertas sonoros à população para ficar em casa, devido à pandemia da covid-19, e recolher imagens de eventuais concentrações de cidadãos.

João Francisco, piloto e dirigente do Aeroclube de Torres Vedras, disse hoje à agência Lusa que as aeronaves vão sobrevoar o concelho aos fins de semana e, de forma excecional, entre quinta e segunda-feira próximas, período em que os cidadãos estão obrigados a permanecer dentro do concelho em que residem.

“Entre 09 e 13 de abril vamos reforçar a vigilância desde que as condições climatéricas permitam voar”, sublinhou.

Através de parcerias com empresas do concelho, o Aeroclube de Torres Vedras instalou um sistema de som e de câmaras de vídeo nas aeronaves.

“Além do aviso sonoro, temos um sistema de imagens que são transmitidas em tempo real aos agentes da Proteção Civil sobre concentração de pessoas”, explicou João Francisco.

O projeto tem como “objetivo dissuadir a população para prevenir aglomerados de pessoas, como tem ocorrido nos últimos fins de semana a nível nacional, contrariando as medidas impostas e recomendações no que diz respeito ao isolamento social”.

Envolvendo mais de 20 pilotos, a associação está a colaborar, de forma gratuita, com a Proteção Civil Municipal, dando este “apoio ao combate da atual situação de emergência nacional associada à covid-19”.

As aeronaves vão sobrevoar zonas tanto do interior, como do litoral deste concelho do distrito de Lisboa.

Torres Vedras regista 28 casos de infeção, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado na terça-feira pelo município.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou cerca de 1,4 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 80 mil.

Dos casos de infeção, cerca de 260 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu, com cerca de 735 mil infetados e mais de 57 mil mortos, é aquele onde se regista o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, contabilizando 17.127 óbitos em 135.586 casos confirmados até terça-feira.

Em Portugal, segundo o balanço feito na terça-feira pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 345 mortes, mais 34 do que na véspera (+10,9%), e 12.442 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 712 em relação a segunda-feira (+6%).

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até ao final do dia 17 de abril, depois do prolongamento aprovado na quinta-feira na Assembleia da República.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here