Covid-19: Duzentos trabalhadores de fábrica de conservas de Peniche com testes negativos
publicidade

As duas centenas de trabalhadores da fábrica de conservas ESIP, de Peniche, que se mantêm em quarentena, já realizaram o teste à covid-19 e os resultados foram todos negativos, disse hoje fonte da empresa.

“Todos os cerca de 200 trabalhadores enviados para casa na semana passada foram testados e os testes estão todos negativos”, afirmou à agência Lusa John Merva, diretor da comunicação para a Europa da multinacional tailandesa Thai Union, a que pertence a conserveira European Seafood Investiment Portugal (ESIP), no distrito de Leiria.

As duas centenas de trabalhadores vão regressar ao trabalho logo que termine o período da quarentena.

No dia 20, um trabalhador apresentou sintomas, foi sujeito ao teste da covid-19 e na segunda-feira passada obteve resultado positivo.

O operário encontra-se em casa em isolamento profilático e não apresenta sintomas graves.

Por esse motivo, empresa e autoridades de saúde decidiram testar duas centenas de trabalhadores, dos 850 que a fábrica possui, e esses profissionais estão em quarentena em casa, sem apresentarem sintomas.

O responsável explicou que, desde o início da pandemia, no âmbito do plano de contingência, a unidade “separou turnos e áreas”, o que permitiu confinar o eventual foco de contaminação apenas aos trabalhadores que “estiveram em contacto com o profissional infetado”.

Por isso, os restantes “não precisam de estar em isolamento ou serem submetidos a testes”.

Para o regresso das duas centenas de trabalhadores, a indústria conserveira está a efetuar “trabalhos para melhorar as medidas de distanciamento social e a rever a separação de turnos para garantir a máxima segurança”, adiantou.

Desde que foi detetado o caso positivo, a conserveira desinfetou áreas que foram usadas por esse trabalhador, incluindo salas de descanso, vestiários e áreas laborais.

Dentro do seu plano de contingência, a conserveira já tinha adotado a medição de temperatura à entrada de cada turno, o uso de equipamentos de proteção individual, a higienização regular das mãos e o reforço da limpeza.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 372 mil mortos e infetou mais de 6,1 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 2,5 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.424 pessoas das 32.700 confirmadas como infetadas, e há 19.552 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here