Covid-19: Empresa das Caldas da Rainha desinfeta gratuitamente ambulâncias e carros da PSP
publicidade

Uma empresa de limpezas industriais e domésticas das Caldas da Rainha está a desinfetar gratuitamente carros de polícia e ambulâncias de transporte de doentes de várias corporações de bombeiros da região, “uma forma de agradecimento a estas instituições”.

É deste modo que Teresa Aguilar define a ação de solidariedade que, nas últimas semanas, tem levado a proprietária e quatro trabalhadores da empresa 4SDM Performance a desinfetar gratuitamente viaturas de instituições como a PSP e bombeiros da região do Oeste.

A empresa, sediada nas Caldas da Rainha, foi contactada “por um elemento da PSP da Nazaré, solicitando um orçamento para limpeza das viaturas”, e obteve como resposta a oferta de Teresa Aguilar para “dar os produtos e o trabalho de desinfeção dos quatro carros da esquadra, como forma de contribuição para a situação de pandemia” da covid-19.

A ideia contou com a adesão de cinco dos 19 trabalhadores da empresa, ”os únicos certificados para este tipo de limpezas” e que resolveram estender a ação à corporação dos bombeiros da Nazaré.

Uma iniciativa que segundo o adjunto do comando nos bombeiros da Nazaré, Ricardo Rebelo, “contribuiu para reforçar a desinfeção feita diariamente, normalmente de hora a hora ou após cada saída da ambulância”.

No quartel da vila, os bombeiros criaram até “um selo” que atesta a desinfeção, retirado apenas quando a ambulância é ativada para qualquer serviço e colocado um novo após a desinfeção.

“Por enquanto, temos desinfetante e capacidade para fazer a desinfeção, mas, sobretudo para corporações onde possam existir mais dificuldades, estas ações de voluntariado são muito importantes”, afirmou o adjunto do comando.

Convicta de que podia ir mais longe em termos de responsabilidade social, a empresa estendeu a ação aos bombeiros de Vieira de Leiria, no concelho da Marinha Grande, e, na última quinta-feira, aos Voluntários de S. Martinho do Porto, os últimos a beneficiar gratuitamente dos serviços da empresa, sobre os quais o comando não esteve disponível para falar.

“O trabalho é sempre feito à noite, fora da hora de expediente, e quando as ambulâncias já regressaram dos transportes. Ocupa cerca de três horas do trabalho dos cinco elementos”, explicou Teresa Aguilar.

Fábio Filipe, de 23 anos, e o único homem na equipa e é um dos voluntários que aceita “com agrado” dar horas de trabalho “em prol do bem comum”.

“Se todos ajudarmos e colaborarmos com aquilo que pudermos será mais fácil ultrapassar esta situação”, disse à Lusa, sublinhado a “responsabilidade” com que a tarefa é encarada pela equipa de limpeza.

Equipados a rigor, os cinco operacionais da limpeza fazem questão de “manter a segurança de quem ali trabalha e é transportado”, na convicção de que “como se costuma dizer, uma mão lava a outra” e, neste contexto, “tem mesmo que ser bem lavada”.

E é com esse espírito que, garante Teresa Aguilar, a 4SDM “vai continuar” a desinfetar as viaturas destas instituições e a responder a “outras solicitações” de corporações da região, enquanto se mantiver a crise gerada pela pandemia da covid-19.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 505 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram cerca de 23.000.

Em Portugal, registaram-se 60 mortes, mais 17 do que na véspera (+39,5%), e 3.544 infeções confirmadas, segundo o balanço feito quinta-feira pela Direção-Geral da Saúde, que identificou 549 novos casos em relação a quarta-feira (+18,3%).

Na região do Oeste havia até às 19:00 de quinta-feira 29 casos confirmados, segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Comunidade Intermunicipal do Oeste (Oestecim).

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here