Covid-19: Falta de enfermeiros impede aumento do internamento para outras doenças no Oeste
publicidade

A escassez de enfermeiros, alguns infetados pela covid-19, está a obrigar o Centro Hospitalar do Oeste (CHO) a adiar a abertura de uma nova ala de internamento para outras doenças no hospital de Peniche, admitiu hoje a administradora.

Dos 1.715 profissionais (das várias áreas) das três unidades do Centro Hospitalar do Oeste, 95 estão infetados e 52 estão em isolamento profilático por terem tido contactos de risco com casos de infeção, disse hoje à agência Lusa a presidente do conselho de administração do CHO, Elsa Baião.

Entre os profissionais que estão ausentes do serviço devido à pandemia de covid-19, no final da semana passada 65 eram enfermeiros, a classe profissional mais afetada, explicou.

O surto na unidade de Torres Vedras (incluindo profissionais e utentes) atingiu os 178 casos confirmados, dos quais 129 estão ativos e 34 recuperaram, e registaram-se ainda 15 mortes, disse hoje à Lusa fonte oficial do município, baseando-se nos dados reportados pelo delegado de saúde.

O total de casos de infeção engloba utentes que foram contagiados quando estiveram internados na unidade por outras doenças, estando alguns a recuperar em casa.

O CHO tem pronta a entrar em funcionamento uma nova enfermaria para internamento de outras doenças no hospital de Peniche, com o intuito de aliviar a pressão das unidades de Caldas da Rainha e de Torres Vedras, onde o internamento para a covid-19 já ultrapassa 40% do total das camas.

Contudo, o CHO tem vindo a adiar a decisão de alargar a Peniche o internamento para outras doenças por falta de recursos, nomeadamente enfermeiros, admitiu Elsa Baião.

Nas unidades de Caldas da Rainha e Torres Vedras, a lotação das 102 camas de internamento (66 em Torres Vedras e 36 em Caldas da Rainha) para a covid-19 está hoje “perto do limite”, adiantou a administradora.

No centro hospitalar, “as últimas semanas têm sido marcadas por uma enorme pressão assistencial e crescente procura de doentes”, devido ao surto em Torres Vedras e ao elevado número de infetados nos lares da região, reconheceu a instituição em comunicado divulgado na segunda-feira.

Na noite de sexta para sábado, fotografias partilhadas nas redes sociais mostravam uma fila de espera com cerca de 10 ambulâncias para a urgência covid-19 de Torres Vedras.

Na semana passada, houve uma elevada afluência às urgências dos hospitais da região na altura em que um idoso que morreu em Torres Vedras após horas de espera pela admissão hospitalar aguardava numa ambulância, admitiu o Instituto Nacional de Emergência Médica.

A afluência aos hospitais da região já obrigou o CHO a transferir doentes para hospitais públicos e privados.

O Centro Hospitalar do Oeste integra os hospitais de Caldas da Rainha, Torres Vedras e Peniche, tendo uma área de influência constituída pelas populações dos concelhos de Caldas da Rainha, Óbidos, Peniche, Bombarral, Torres Vedras, Cadaval e Lourinhã e de parte dos concelhos de Alcobaça e de Mafra. Estes concelhos dividem-se entre os distritos de Lisboa e Leiria.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 2.058.226 mortos resultantes de mais de 96,1 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 9.465 pessoas dos 581.605 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here