Covid-19: Freguesia em Peniche ajuda alunos com computadores e Internet gratuitos
publicidade

 A freguesia de Ferrel, em Peniche, está a apelar à população para doar ou emprestar computadores e já fez saber que disponibiliza a Internet gratuita para garantir o ensino à distância a todos os alunos durante a pandemia.

O presidente da junta, Pedro Barata, explicou à agência Lusa que, “em conversa com uma professora, constataram que há alunos que só têm acesso à matéria através dos dados móveis no telemóvel dos pais”, motivo pelo qual esta autarquia do distrito de Leiria decidiu lançar o programa para alunos residentes na freguesia.

“Não queremos que nenhum aluno fique sem acesso à escola se a sua família, por carência económica, não conseguir por si só”, sublinhou o autarca.

A junta de freguesia está a lançar o apelo à população para doar ou emprestar computadores ou ‘tablets’ fora de uso.

“Já temos quatro ofertas e dois pedidos”, adiantou Pedro Barata.

Numa parceria que restabeleceu com o movimento “Reciclar para Aprender”, esses equipamentos são depois, de forma gratuita, reparados ou formatados e instaladas as aplicações necessárias ao estudo dos alunos.

Para dar acesso à Internet de forma gratuita, esta autarquia conseguiu garantir até 15 cartões de Internet pré-paga, no âmbito do contrato que possui, e está disponível a investir em mais, prevendo ter um custo de cinco euros por aluno, fora desse contrato.

Em conjunto com o Agrupamento de Escolas da Atouguia da Baleia, a junta de freguesia está a fazer o levantamento das necessidades entre os alunos da freguesia.

O autarca perspetiva que possam ser cerca de 30 alunos, do primeiro ao terceiro ciclo, a necessitar deste apoio.

Peniche regista três casos de infeção, de acordo com o último balanço efetuado pela Comunidade Intermunicipal do Oeste, a que pertence o município.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 727 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram perto de 35 mil.

Dos casos de infeção, pelo menos 142.300 são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu, com mais de 396 mil infetados e perto de 25 mil mortos, é aquele onde se regista atualmente o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, com 10.779 mortos em 97.689 casos confirmados até domingo.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 140 mortes, mais 21 do que na véspera (+17,6%), e 6.408 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 446 em relação a domingo (+7,5%).

Dos infetados, 571 estão internados, 164 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 43 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

Além disso, o Governo declarou no dia 17 o estado de calamidade pública para o concelho de Ovar.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here