Covid-19: Lourinhã com mais de uma centena de camas para eventuais infetados
publicidade

O concelho da Lourinhã, no distrito de Lisboa, criou centros de acolhimento com 117 camas para responder a doentes não urgentes afetados pela pandemia do novo coronavírus, anunciou o município em comunicado.

As camas estão distribuídas pela Casa do Oeste, em Ribamar (45), pela Associação Cultural e Recreativa de Pregança (30) e pelo Hóquei Clube da Lourinhã (12 camas).

Estes centros de acolhimento foram criados em parceria com diversos agentes de Proteção Civil locais e outras instituições e vão ser geridos com o apoio da delegação da Lourinhã da Cruz Vermelha Portuguesa e profissionais de saúde voluntários.

A autarquia está a pedir voluntários, de preferência profissionais de saúde, para eventual colaboração na resposta à situação de emergência pandémica, decorrente da ativação do Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil da Lourinhã.

A Pousada da Juventude da Praia da Areia Branca está também sinalizada para alojar forças de segurança e profissionais de saúde em missão no concelho.

Até quarta-feira, não existia qualquer caso de infeção no concelho.

O município ativou o seu Plano Municipal de Emergência, tendo reforçado as medidas preventivas contra o novo coronavírus, com o fecho de todos os cemitérios do concelho, exceto para funerais restritos a 10 pessoas, dos consultórios médicos, clínicas dentárias, clínicas de fisioterapia e atividades de saúde e bem-estar, incluindo terapêuticas não convencionais.

As urgências devem ser encaminhadas para o Hospital de Torres Vedras, pertencente ao Centro Hospitalar do Oeste.

A cantina social mantém-se aberta para assegurar entregas de refeições ao domicílio.

O mercado municipal também continua aberto, com horário diferenciado para profissionais de saúde, bombeiros, forças de segurança e demais agentes de proteção civil, mas foram impostas limitações de acesso e proibição de venda de bebidas alcoólicas para o público.

Já antes tinha encerrado serviços municipais de atendimento ao público, hotéis e alojamentos locais, parques infantis, equipamentos desportivos e de recreio ao ar livre, casas de banho públicas, o atendimento nas juntas de freguesia, o julgado de paz, a Academia Cultural Sénior e os centros de dia do concelho.

A autarquia decidiu também suspender prazos processuais e visitas aos lares.

As medidas estão em vigor até 30 de abril.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here