Covid-19: Mais de 300 empresas do Oeste com quebras superiores a 60%
publicidade

Mais de metade de 468 empresas da região Oeste analisadas num questionário lançado pela comunidade intermunicipal somou prejuízos superiores a 60% por causa da pandemia de covid-19 e recorreu ou vai recorrer ao ‘lay-off’.

Das 468 empresas que responderam ao inquérito, 65,4% – o equivalente a 306 – tiveram quebras nos negócios superiores a 60%, conclui o diagnóstico, a que a agência Lusa teve acesso.

Os setores em que se registam quebras no volume de negócios mais significativas são alojamento, restauração e similares; educação; atividades artísticas, dos espetáculos, desportivas e recreativas; e alguns serviços.

A amostra corresponde a 1,02% das empresas do Oeste, com base em dados do Instituto Nacional de Estatística.

O inquérito decorreu de 01 a 30 de abril e, das 468 empresas da região que responderam, 344 solicitaram apoios ao Estado.

As empresas declararam necessitar de um apoio total de 121,7 milhões de euros para enfrentarem a crise económica provocada pela pandemia.

Segundo os resultados, 56,6% aderiu ou pretende aderir ao ‘lay-off’, medida criada pelo Governo para permitir a suspensão de contratos de trabalho, auxiliando as empresas no pagamento de parte dos salários.

Menos de metade (44,4%) das empresas inquiridas encerraram instalações em consequência das medidas decretadas pelo estado de emergência e 28,8% mantiveram-se a trabalhar parcialmente.

Quase 300 espera manter o número de trabalhadores, enquanto quase 150 já despediu ou pondera despedir.

As empresas inquiridas, na sua grande maioria com menos de 10 trabalhadores e um volume de negócios até 100 mil euros, representam 8.077 postos de trabalho ocupados.

Segundo os dados, 40,9% dos seus trabalhadores tem vínculo por tempo indeterminado, enquanto 59,1% estão em situação mais vulnerável face à manutenção do emprego por terem vínculos a prazo.

O inquérito foi lançado com o “objetivo de implementar um programa intermunicipal de apoio à economia e ao emprego na região Oeste, que permita complementar as medidas já em vigor para mitigar os efeitos da crise”.

A região regista um total de 207 casos de infeção confirmados, dos quais 139 estão recuperados, 59 estão ativos e nove morreram.

A região Oeste integra os concelhos de Alcobaça, Alenquer, Arruda dos Vinhos, Bombarral, Cadaval, Caldas da Rainha, Lourinhã, Nazaré, Óbidos, Peniche, Sobral de Monte Agraço e Torres Vedras.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 297 mil mortos e infetou mais de 4,3 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 1,5 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.184 pessoas das 28.319 confirmadas como infetadas, e há 3.198 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa 4,5 mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), paralisando setores inteiros da economia mundial, num “grande confinamento” que vários países já começaram a aliviar face à diminuição dos novos contágios.

O “Grande Confinamento” levou o Fundo Monetário Internacional (FMI) a fazer previsões sem precedentes, prevendo para Portugal uma recessão de 8% e uma taxa de desemprego de 13,9% em 2020.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here