COVID-19: Torreense, Amora e Fiães tomam posição conjunta sobre futebol feminino
publicidade

Após terem tomado conhecimento da decisão da FPF de dar os campeonatos sobre sua jurisdição por terminados, não havendo descidas nem subidas com exceção do Campeonato de Portugal onde serão decididos os critérios de subida à LigaPro, o Amora Futebol Clube, o Fiães Sport Clube e o Sport Clube União Torreense, clubes em posição de subida de divisão à Liga BPI, tomaram uma posição conjunta de abordagem à Federação Portuguesa de Futebol.

Em comunicado, os três clubes defendem ” apromoção, evolução e desenvolvimento do Futebol Feminino em Portugal”.

No campo financeiro, os referidos clubes propõem a “diminuição do fosso existente entre os apoios dados para os clubes participantes no Campeonato de Portugal e para os clubes participantes no Campeonato da II Divisão Feminino; estabelecendo como montante máximo por clube do Campeonato da II Divisão Feminino metade do montante máximo atribuído por clube do Campeonato de Portugal, isto é, €17.625,00″

Além disso, apelam à “valorização do investimento financeiro realizado pelos nossos clubes que possibilitou o aumento da qualidade do Campeonato da II Divisão Feminino, a descoberta de talento e a melhoria das condições de atletas, treinadores e adeptos, atribuindo-nos o montante máximo de 2/3 do apoio atribuído aos clubes participantes na Liga BPI”.

No campo desportivo, sugerem, em alternativa, uma das seguintes medidas:

a) Promoção dos dois clubes melhor classificados da Série Norte e da Série Sul do Campeonato da II Divisão Feminino à Liga BPI, aumentando o quadro competitivo da Liga BPI de doze para dezasseis equipas na época desportiva 2020/2021, com possibilidade de, nessa época
desportiva e na época desportiva 2021/2022, descerem quatro equipas e subirem apenas duas; ou

b) Realização de um Play-off, mediante sorteio, entre os dois clubes melhor classificados da Série Norte e da Série Sul do Campeonato da II Divisão Feminino a realizar na Cidade do Futebol, à porta fechada, sem apuramento de campeão, aumentando o quadro competitivo da Liga BPI de doze para catorze equipas na época desportiva 2020/2021, com possibilidade de, nessa época desportiva, descerem quatro equipas e subirem apenas duas.

Os três clubes apelam ainda para que, caso nenhuma destas opções seja aceite, lhes seja dado o acesso aos mesmos mecanismos de subida de divisão que sejam pensados e executados para os clubes do Campeonato de Portugal.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here