Dia Mundial da Poesia em Torres Vedras
publicidade

Dia Mundial da Poesia

Comemorações em Torres Vedras

Programa de atividades:

16 a 31/3 | “Apanhador de poemas” | Biblioteca Municipal de Torres Vedras

Dizem que a poesia é verso, é inspiração e desperta o sentimento do belo…

Com a chegada da primavera, chega também o dia da Poesia.

Então, vamos apanhar um poema, como quem apanha um sonho bom…

17/3 | 15h30 | “Histórias com coração” | Biblioteca Municipal de Torres Vedras

A partir dos livros da escritora e ilustradora Rita Correia – “Um Livro para ti”, “O meu nome é…” e “Ilumina” – entre jogos de palavras, quem sabe a rimar, Patrícia Chaves Duarte dinamizará uma atividade em que se irá brincar, explorar e descobrir os segredos de “Era Uma Vez…” –  instalação residente no espaço infantil da Biblioteca Municipal de Torres Vedras, e partilhar momentos em família.

Inscrições: bmtv.servico.educativo@cm-tvedras.pt; ou: 261 320 747/ 261 310 460.

17/3 | 17h30 | Conversa com Luís Filipe Cristóvão: Biblioteca, poesia e famosas últimas palavras | Biblioteca Municipal de Torres Vedras

Luís Filipe Cristóvão é o convidado para uma conversa em torno de livros de poesia e da sua última obra: “Famosas últimas palavras”.

Luís Filipe Cristóvão é um “poeta de escrita prolífica, que tem 38 anos de palavras acumuladas na cabeça, e obriga o leitor a investigar a sua própria identidade, sua noção de pertencimento, como também a identidade do poema. Mexe com nossa antecipação leitora, rompe com nosso ritmo, obriga-nos a pensar.

“Famosas últimas palavras”, depois de uma pausa desde 2009, foi escrito com um sabor próprio de despedida, com o cheiro característico da maresia a envolver suas palavras.”

17/3 | 21h30 | Espetáculo de poesia/música ”Um secreto regresso, por Jacarandá” | Teatro-Cine de Torres Vedras

A música e a palavra dita – um encontro antigo, por vezes feliz, sempre delicado.

Um ator, encenador e dizedor de poesia, vindo da música. Uma harpista, compositora e estudante de guitarra portuguesa, vinda da literatura. Chamam-lhe Jacarandá, como o voo violeta que todos os anos invade Lisboa num assomo de beleza efémera. É feito das cordas da harpa, da guitarra e da voz. Delicado como a beleza, com uma boa margem de improviso, como a vida. Apresentam-se para um secreto regresso aos lugares interiores, pela mão de Al Berto, poeta de ambos. Debruçados para o outro lado do espelho, na esperança que a palavra “mar”, faça o mar todo entrar pela janela.

Pedro Lamares: Voz

Ana Isabel Dias: Harpa

Preço: 5 €

20/3 | 11h | Bibliotalentos | Teatro-Cine de Torres Vedras

Trata-se de um encontro cultural para promoção e valorização das potencialidades formativas da Biblioteca Escolar/Centro de Recursos (BECRE) da Escola Secundária de Madeira Torres em que alunos da mesma farão uma demonstração de competências artísticas.

A voz, a música e a dança serão protagonistas de leituras diversificadas do sentir humanista.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.