Édi Gomes tomou posse
publicidade

Tomada de posse JSD Torres Vedras

Édi Gomes sucede a Marta Geraldes

Na passada sexta-feira 26 de abril decorreu o jantar tomada de posse dos novos órgão concelhios da Juventude Social Democrata (JSD) de Torres Vedras. A iniciativa contou com a presença da presidente cessante e atualmente presidente da JSD Lisboa-Área Oeste, Marta Geraldes, da Presidente da Mesa do PSD Oeste, Damas Antunes, do Presidente do PSD Torres Vedras, Luís Carlos Lopes, dos vereadores da CMTV, Marco Claudino e Maria João Ribeiro, e dos vice-presidentes da JSD nacional, Joaquim José Gonçalves e Alexandre Poço.

Édi Gomes sucede agora a Marta Geraldes, que tomou posse como presidente do plenário da JSD Torres, acumulando este cargo com a presidência da JSD Regional Lisboa-Área Oeste. Marta Geraldes deixa o cargo de presidente da JSD Torres ao fim de 3 anos com muito trabalho realizado e cujo o mérito foi enaltecido durante toda a cerimónia.

O recém-eleito presidente da comissão política iniciou o seu discurso deixando uma palavra de gratidão “a todos os presentes pela presença”. Expressou de seguida um grande agradecimento a Marta Geraldes e Jorge Faria de Sousa, presidente da JSD Torres e presidente da JSD Regional respetivamente, aquando da entrada do atual presidente da JSD Torres na JSD, realçando assim o grande contributo que ambos entregaram as suas secções e o “enorme trabalho que fizeram pela causa da juventude”.

Édi Gomes acusou de seguida “o presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, Carlos Bernardes, de envergonhar todos os jovens torrienses, quando existem várias famílias a realizarem enormes sacrifícios pessoais e financeiros para os seus filhos poderem prosseguir os estudos, e o representante de todos nós plagiar uma tese”. Segundo o presidente da JSD Torres Vedras é uma “enorme ataque ao valor do trabalho e mérito e um desprestígio para a autarquia e em última análise de todo o ofício da política”.

Mencionou também as enormes dificuldades dos jovens torrienses, desde “os jovens do Externato de Penafirme que hoje já não tem por garantido que possam prosseguir os estudos na escola que os viu crescer, até aos jovens torrienses que se deslocam diariamente para Lisboa despendendo assim várias horas semanais e pagando valores de transporte exorbitantes”. Porém, Édi Gomes não se limitou a apontar os defeitos no concelho, “não podemos nos esgotar no discurso mas sim devemos o reforçar com ações e pelo exemplo, por isso toda a comissão política hoje empossado se compromete a lutar, a trabalhar, a erguer a voz em defesa dos direitos e valores da juventude, porque só assim a JSD sabe agir”.

O presidente da JSD Torres Vedras acabou a sua intervenção com um pedido “que todos nos unamos a volta de uma única causa, a melhoria de vida dos jovens torrienses”, urgindo assim que “todos nós, políticos, temos que ter como função principal a criação de condições para que todos, independentemente de qualquer circunstância, possam procurar e construir a sua felicidade individual”.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here