Encontro junta pela primeira vez comunidades devotas de Nossa Senhora na Nazaré
publicidade

Comunidades devotas de Nossa Senhora da Nazaré vão reunir-se na Nazaré, entre os dias 24 e 26, num encontro que culminará com a criação de uma rede internacional de países do mundo onde o culto se mantém ativo.

Dezenas de participantes de “vários países de língua portuguesa onde este culto está presente, sobretudo do Brasil”, são esperados na Nazaré para o primeiro Encontro de Comunidades de Devotas de Nossa senhora da Nazaré, divulgou a câmara.

O encontro é uma das primeiras iniciativas abertas ao público no âmbito da candidatura do Culto de Nossa Senhora da Nazaré – Práticas e Manifestações a Património Cultural Imaterial da Humanidade da UNESCO, provida pela câmara da Nazaré em parceria com o governo do Estado do Pará (Brasil).

“O culto da Senhora da Nazaré está hoje em dia mais vivo no Brasil do que em Portugal”, disse à agência Lusa fonte ligada ao encontro, que ficará marcado pela vinda a Portugal da Imagem Peregrina da Senhora de Nazaré de Belém do Pará.

A imagem será acompanhada de três Guardas da Nazaré e responsáveis pelo Círio de Nazaré de Belém do Pará, “uma das maiores festividades católicas do mundo, que todos os anos em outubro congrega mais de dois milhões de pessoas”.

O programa conta ainda com um vasto leque de momentos culturais, devocionais, de debate e convívio, abertos a toda a população, ao longo de três dias em que será feita a apresentação pública da candidatura e assinado um protocolo de criação de uma rede internacional de comunidades devotas do culto identificado em países como Israel, Argélia, Angola e São Tomé e Príncipe, para além dos mais ativos, como Portugal e o Brasil.

“Todas estas comunidades foram convidadas a participar e poderão, em qualquer altura, integrar a futura rede”, afirmou o presidente da câmara da Nazaré, Walter Chicharro.

Num levantamento realizado pelo projeto de candidatura do culto foram já identificados “mais de duzentos sítios e manifestações de fé à Virgem da Nazaré no Brasil, um pouco por todo o país, mas especialmente no Estado do Pará, que tem a Senhora de Nazaré como padroeira.

Em Portugal, é na Nazaré que o culto atinge maior intensidade, associado ao ‘milagre’ atribuído ao salvamento de D. Fuas Roupinho quando este estava em risco de cair do promontório da vila.

“Além das comunidades portuguesas, brasileiras ou africanas onde a devoção ainda é viva, este encontro pretende incluir também os locais que permitem traçar uma antiguidade, ainda que lendária, da Imagem da Nossa Senhora da Nazaré até aos primórdios do Cristianismo”, refere a organização num comunicado.

No epicentro do culto está uma imagem da virgem que se julga ter sido esculpida por São José, ainda em vida de Jesus, em Nazaré da Galileia, passando depois pela atual cidade de Annaba, na Argélia, e mais tarde pelo Mosteiro de Cauliniana, na região de Mérida, até chegar a Portugal, ao local hoje conhecido por Sítio da Nazaré.

A pretensão de classificação do culto e devoção ao Milagre da Nossa Senhora da Nazaré a Património Cultural Imaterial da Humanidade, da UNESCO, foi expressa num dossiê entregue ao Papa Francisco em novembro de 2018.

O levantamento e junção de elementos culturais ao processo conta com a participação da câmara e da Confraria de Nossa Senhora da Nazaré, da Secretaria da Cultura do Estado do Pará (Brasil), assim como de cidadãos das comunidades onde existe o culto e a devoção a Nossa Senhora da Nazaré, em particular dos locais onde se realizam alguns dos Círios mais importantes, como o Círio da Prata Grande e o Círio de Olhalvo (em Portugal) e o Círio de Belém do Pará (no Brasil).

A candidatura deverá ser entregue em março deste ano.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here