publicidade

A Sociedade de História Natural (SHN) levou a cabo mais uma campanha paleontológica, em Cambelas, Frequesia de São Pedro da Cadeira (Torres Vedras). De 7 a 22 de Setembro, aquela instituição sediada em Torres Vedras contou com a participação de 15 paleontólogos, estudantes e interessados de várias nacionalidades, em concreto de Portugal, Holanda, Tailândia e Espanha.

A jazida intervencionada já tem um longo historial de interesse para a equipa do Laboratório de Paleontologia e Paleoecologia da SHN, uma vez que remonta a 2003 as primeiras escavações que esta instituição efetuou no local, seguidas de outras campanhas em 2011, 2014 e esta ultima, já em 2015.

Este ano foi particularmente interessante, pois a diversidade de dinossauros e outros vertebrados descobertos na jazida demonstrou e elevado interesse e potencial científico da mesma. A existência de um grande dinossauro saurópode nesta jazida já era conhecido da equipa, mas na campanha do ano passado descobrimos ossos de dinossauros ornitópodes (herbívoros bípedes) e este ano somam-se ossos de mais dois grupos de dinossauros, estes últimos couraçados: estegossaurídeos e ankylosaurídeos. Esta associação de faunas não é frequente, o que deixou a equipa muito entusiasmada.

Os trabalhos efetuados este ano atingiram os limites da jazida no terreno agrícola intervencionado desde 2003, mas a possibilidade de que esta se estende para o terreno contíguo leva a SHN a crer que o projeto terá continuidade nos próximos anos.

Cada vez mais interessados estrangeiros em participar nos trabalhos da SHN

A diversidade cultural e de nacionalidades presentes nos trabalhos deste ano reflete o interesse de profissionais, estudantes universitários e outros interessados, alguns mesmo em busca de turismo de ciência (ou Turismo Geológico). Nos últimos anos a SHN tem recebido vários pedidos de participação em atividades, desde escavações ao voluntariado no laboratório. A maioria dos contactos vêm da Alemanha, Bélgica, Holanda e Brasil, por parte de alunos e universitários ou pessoas muito interessadas na temática de paleontologia, e que gostariam de ter uma experiência real de escavação ou trabalhos laboratoriais. A ideia é enquadrar muitos dos interessados e alunos no contexto real de trabalho, supervisionado pelos investigadores da SHN, potenciando uma experiência única e assim contribuir para a difusão da paleontologia enquanto ciência e do turismo regional.

“Este elevado interesse levou a SHN a conceber um projeto de curto a médio prazo, para que possa dar resposta aos vários pedidos que chegam. Assim, a partir do próximo ano poderá já estar em funcionamento acolhimento de estrangeiros que pretendam fazer uma temporada de 3 meses a um ano no Laboratório de Paleontologia e Paleoecologia e em escavações no concelho de Torres Vedras, com uma vertente de turismo geológico e cultural dedicado à região Oeste”.

Os trabalhos deste ano foram tiveram o apoio imprescindível da Câmara Municipal de Torres Vedras, da Junta de Freguesia de São Pedro da Cadeira e da empresa Ângelo Custódio Rodrigues S.A., esta ultima sediada em Torres Vedras e que tem apoiado a SHN desde a sua fundação, em 1998.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.