publicidade

O espetáculo LINHAS passou pelo palco do Teatro-Cine de Torres Vedras no dia 10 de abril.

Tratou-se da terceira apresentação deste filme-concerto que tem como inspiração as Linhas de Torres Vedras e está a itinerar pelos seis concelhos onde se localizam as fortificações deste sistema militar defensivo que travou a terceira invasão francesa a Portugal (Arruda dos Vinhos, Loures, Mafra, Sobral de Monte Agraço, Torres Vedras e Vila Franca de Xira).

De referir que no espetáculo LINHAS (que foi concebido pela AREPO – Companhia de Óperas e Artes Contemporâneas) músicos profissionais e alunos de música oriundos daqueles seis concelhos, dirigidos pelo maestro Rui Pinheiro, interpretam duas obras musicais: Linhas, de Luís Soldado (que é o responsável pela direção artística e composição musical do espetáculo); e A Vitória de Wellington (Op. 91), de Ludwig van Beethoven (esta última num arranjo de Luís Raimundo). Aquando da interpretação desta primeira composição é projetado um filme, realizado por Patrícia Carreira, com imagens dos anos 30 do século passado, que aborda o quotidiano das populações dos concelhos onde foram erigidas as Linhas de Torres Vedras. Ou seja, um quotidiano de paz que só foi possível efetivar graças à construção deste sistema de fortificações e onde se observa a existência de uma matriz identitária comum.

Findo o espetáculo no Teatro-Cine de Torres Vedras, a vice-presidente da Associação para o Desenvolvimento Turístico e Patrimonial das Linhas de Torres e, simultaneamente, da Câmara Municipal de Torres Vedras, Ana Umbelino, usou da palavra, numa alocução em que reiterou a importância da criação artística alicerçada na história e no património enquanto ímpeto para eternizar a memória e a identidade europeias e elicitar novas leituras e interpretações capazes de abrir novos caminhos para o futuro.

Refira-se que a Associação para o Desenvolvimento Turístico e Patrimonial das Linhas de Torres, da qual o Município de Torres Vedras faz parte, é entidade parceira do espetáculo LINHAS. Esta associação é responsável pela dinamização da Rota Histórica das Linhas de Torres, a qual corporiza um itinerário turístico-cultural que, alicerçado em novas narrativas, constitui hoje um destino diferenciado que ambiciona alavancar uma oferta turística consubstanciada por agentes económicos, associações e parceiros, nacionais e internacionais.

De mencionar ainda que o espetáculo LINHAS conta com o apoio da Direção-Geral das Artes e dos municípios de Arruda dos Vinhos, Loures, Mafra, Sobral de Monte Agraço, Torres Vedras e Vila Franca de Xira, bem como com a colaboração do Conservatório Silva Marques, da Banda Filarmónica da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Fanhões, da Banda de Música da Santa Casa da Misericórdia de Arruda dos Vinhos, do Conservatório de Música de Mafra, do Conservatório de Música Luís António Maldonado Rodrigues e da Academia de Música e Artes da Sapataria.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here