publicidade

O presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC), Delmino Pereira, defendeu hoje que a realização de uma etapa da Volta a Portugal no Oeste deverá continuar no futuro considerando tratar-se de uma região de excelência para o desporto.

“A ligação das nossas provas a regiões bem organizadas para a prática de desportos de ar livre deve ser potenciada”, afirmou Delmino Pereira, defendendo que em anos futuros a Volta a Portugal volte a contar com uma etapa completa na região Oeste.

O dirigente e antigo corredor reconheceu a “excelência” da região, à qual podem acorrer os praticantes da região de Lisboa, reconhecendo que, turisticamente, e entre as várias zonas percorridas pela Volta, “a marca Oeste surge com uma imagem muito forte”.

O presidente da FPC falava nas Caldas da Rainha, na apresentação da oitava etapa da 78.ª volta a Portugal, que pela primeira vez passará em 11 dos 12 concelhos do Oeste, ficando de fora apenas Peniche.

A etapa está marcada para 05 de agosto, penúltimo dia da competição, com partida no Sítio, na Nazaré, e chegada a Arruda do Vinhos, depois de o pelotão ter percorrido 208,5 quilómetros, entre o Atlântico e a serra do Montejunto.

Marcada para o penúltimo dia de competição a etapa é “a mais longa dos últimos cinco anos”, sublinhou o diretor da prova, Joaquim Gomes, elogiando a “beleza” do percurso que levará o pelotão a atravessar os municípios de Alcobaça, Caldas da Rainha, Óbidos, Bombarral, Lourinhã, Torres Vedras e Sobral de Monte Agraço.

Na etapa do Oeste serão discutidas três metas volantes (em Bombarral, Torres Vedras e Sobral de Monte Agraço) e três contagens de montanha (em Montejunto, Alenquer e Arranhó).

Uma prova que, segundo Pedro Folgado, presidente da Comunidade Intermunicipal do Oeste (Oestecim) a “região de fervorosos amantes do ciclismo e berço de equipas e ciclistas de nomeada [entre os quais Joaquim Agostinho] já merecia”.

Para trazer a etapa para o seu território os doze municípios investiram mais de 100 mil euros para “ativar a marca Oeste” o que, segundo Joaquim Gomes, resultará “num retorno muito superior em termos diretos e indiretos”.

A realização de uma etapa completa na região do Oeste é uma das novidades desta edição da Volta a Portugal, com Nazaré e Arruda dos Vinhos a terem, pela primeira vez, respetivamente, uma partida e uma meta.

De acordo com a organização da prova, realizada pela primeira vez em 1927, nos últimos 90 anos participaram na competição seis concelho do Oeste, nos quais foram realizadas 65 provas, entre as quais 16 partidas e 14 chegadas.

Caldas da Rainha é “uma das protagonistas mais assíduas”, contando logo na primeira edição com uma chegada, onde António Carvalho (Carcavelos) consolidou a liderança, saindo no dia seguinte de camisola amarela até Lisboa onde foi consagrado vencedor da 1.ª Volta a Portugal em bicicleta.

A Volta a Portugal arranca de Oliveira de Azeméis a 27 de julho e termina em Lisboa, a 07 de agosto, depois de 1.618,7 quilómetros percorridos pelo pelotão.

Foto: Volta a Portugal

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here