publicidade

A edição deste ano da Feira de São Pedro arrancou ontem em Torres Vedras, com a primeira noite a contar com mais de 8000 visitantes. O certame, com 723 anos de história, contou com a presença de Jorge Gomes, Secretário de Estado da Administração Interna, que ao lado de Carlos Bernardes, Presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, e de César Costa, Presidente da Promotorres, saudaram os torrienses na cerimónia de inauguração que deu início à Feira. Uma edição que, além dos restaurantes, tasquinhas, bares e animação, conta com mais de 200 empresas e mais de 250 comerciantes tradicionais.

Um “conjunto de argumentos que nos permitem acreditar que os 230 mil visitantes da edição anterior vão, seguramente, ser ultrapassados este ano” avançou César Costa. “Falar da Feira de São Pedro é, inevitavelmente, falar de história, das nossas tradições, da nossa identidade. É um evento que faz parte da vida de todos os torrienses” lembrou o Presidente da Empresa Municipal. O certame, que “é uma mostra das potencialidades do concelho”, foi a terceira maior feira generalista do país no ano passado.

“Há cerca de 30 anos, o primeiro trabalho que tive na vida foi montar os pavilhões da Feira de São Pedro” contou Carlos Bernardes antes de partir para o assunto que dominou a sua intervenção, e que dá mote ao espaço da Câmara torriense neste certame: os 40 anos do Poder Local democrático. Um número que, considera, “é o número da ternura e carinho por aqueles que foram eleitos pela primeira vez autarcas em Torres Vedras e em todo o país.” Assim, no Pavilhão Multiusos da Expotorres encontra-se uma fotobiografia que destaca diversos momentos das últimas quatro décadas no concelho. “É uma pequena mostra do trabalho que está a ser desenvolvido” explicou o autarca, uma vez que o projecto envolve anteriores Presidentes de Câmara e representantes dos partidos políticos, e tem como objectivo a edição de um livro.

Torres Vedras tem “identidade própria”

“Sou de Bragança mas conheço o Carnaval de Torres Vedras” disse o Secretário de Estado da Administração Interna, que destacou a importância da realização deste outro evento torriense. “É interessante como Torres Vedras, estando ao lado de Lisboa, consegue ter identidade própria” destacou Jorge Gomes em plena primeira noite de Feira de São Pedro. E para gáudio dos presentes, acrescentou. “A gente de Torres Vedras tem de ter muita força e muito dinamismo.”

Feira de São Pedro arrancou em Torres Vedras com 8000 visitantes
“É interessante como Torres Vedras, estando ao lado de Lisboa, consegue ter identidade própria” destacou Jorge Gomes, Secretário de Estado da Administração Interna.

Se, para muitos, a presença do Secretário de Estado da Administração Interna foi uma surpresa, Jorge Gomes fez questão de explicar. “Fiz uma incursão pela política, mas a minha veia continua a ser de empresário. De maneira que estou na minha praia.” E acrescentou. “Quando entrei nesta Feira disse: estou com os meus.” Depois de Carlos Bernardes ter expressado “conte com Torres Vedras, contem connosco para dar o nosso melhor”, o membro do Governo de António Costa destacou a dinamização do quadro Portugal2020, assim como da devolução do corte salarial na função pública, sublinhando. “Estamos preocupados com o cidadão. É a pedra basilar deste governo.”

A cerimónia ficou marcada pela homenagem a Luísa Maria pelo “que tem dado à Feira de São Pedro ao longo de 35 anos” e ainda pelo aplauso a Renato Valente. Momentos simbólicos numa noite que contou com Alberto Avelino, Presidente da Assembleia Municipal, e Francisco Martins, Presidente da Junta de Freguesia de Santa Maria, São Pedro e Matacães, no painel desta cerimónia. Outros autarcas e figuras torrienses marcaram também presença neste momento de arranque do certame.

A mostra Vinho nas Linhas, que conta com 18 produtores da região da Lisboa, está no centro das atenções desta edição da Feira de São Pedro. César Costa destacou a mostra como um importante instrumento na “promoção e valorização deste produto e desta actividade tão importantes para o concelho e para a região.” Carlos Bernardes destacou mesmo o “trabalho que se está a desenvolver no sentido de promover os nossos vinhos em eventos nacionais.” Segundo o autarca, a aposta neste produto apresenta um objectivo. “O nosso sonho é que Lisboa seja a maior capital do mundo com vinhos à sua volta, entre o Atlântico e o Tejo.”

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.