publicidade

A Igreja de São Pedro é a mais antiga das quatro igrejas matrizes da cidade de Torres Vedras. Localizada no Largo com o nome do mesmo Santo, é classificada como monumento nacional desde 1910 e o Torres Vedras Web escreve hoje sobre a sua história.

Sabe-se da sua existência à época do reinado de Dom Afonso Henriques e de que foi alvo de reconstrução no início do século XVI, bem como após o terramoto de 1755.

Foi aqui que...

Três naves dão forma ao corpo da Igreja. Uma abóbada de berço cobre a nave central, enquanto as laterais apresentam abóbadas de cruzaria. O altar-mor, que se distingue pela talha dourada, data de 1683. As colunas que o ladeiam apresentam as imagens de S. Pedro e de S. Paulo. Destaque-se ainda o tecto de madeira dourada e policromada, onde se encontram quatro telas dos Evangelistas assinadas por Bernardo de Oliveira Góis.

O portal, de tipo manuelino, é encimado pelas armas de Dona Maria, mulher de Dom Manuel I. E se a porta da fachada é de 1712, convém não esquecer a porta quinhentista na parede exterior norte, bem como a de tipo manuelino que provem de uma capela no Turcifal demolida no século XX.

Já a sacristia comunica com a sala da Casa da Irmandade dos Clérigos Pobres. Foi ali que funcionou o Museu Municipal, em 1929, e onde agora se encontra o Cartório Paroquial.

Foi aqui que...

Acarinhada pelos torreenses, a Igreja de São Pedro é vista por muitos como uma das mais belas da cidade. Para isso, acreditamos que contribui a diversidade de azulejos que lá se encontram: dos quinhentistas aos painéis do século XVIII.

A tripla tiara papal e as chaves do paraíso, atributos de São Pedro, encontram-se no tecto junto à entrada da Igreja. Mas desde 29 de Junho do ano passado que uma estátua dedicada ao santo – patrono da Feira anual que marca o concelho torreense -, da autoria de João Castro Silva, se encontra junto à sua entrada. A fachada de acesso ao monumento bem como a Praça de Wellington, nas traseiras, foram recentemente alvo de requalificação.

Foi aqui que...

O túmulo de João Lopes Perestrelo, companheiro de Vasco da Gama na sua viagem à Índia, é um dos muitos que se encontram nesta Igreja. Junto ao guarda-vento encontra-se ainda a sepultura de Mouzinho de Albuquerque, militar morto na batalha de Torres Vedras em 1846.

 

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.