Formação de Torres Vedras esteve três dias no pódio
publicidade

A equipa Sicasal Constantinos esteve por três vezes representada no pódio do Grande Prémio Abimota.

A equipa Sicasal Constantinos esteve por três vezes representada no pódio do Grande Prémio Abimota, evento que este ano comemorou o 40º aniversário com uma competição internacional de 538 km distribuídos entre os dias 20 e 23 do corrente.

A formação de Torres Vedras começou por demonstrar muita determinação ao ser a mais rápida entre as designadas “equipas de clube” no contra-relógio coletivo da etapa inaugural disputada em Lisboa. Miguel Salgueiro, primeiro da equipa a cruzar a linha de meta, subiu ao pódio para envergar pela primeira vês a camisola vermelha correspondente ao melhor atleta duma equipa de clube.

No segundo dia de competição a equipa torriense voltou a demonstrar maturidade e teve novamente em Miguel Salgueiro o elemento em maior destaque, quando este tentou a sorte a 500 mt da meta na esperança da vitória isolada. A iniciativa acabaria por não surtir efeito, mas o atleta de Odivelas foi o 10º classificado na etapa e garantiu mais uma subida ao pódio, mantendo a vermelha.

Para a 3ª etapa estava agendada a jornada mais longa da prova, com uma viagem de 185 km entre a vila medieval de Almeida e Vouzela. A luta pela classificação entre os melhores atletas de “clube” estava bem acesa entre os atletas “torrienses” e vários ciclistas espanhóis, mas a dinâmica da equipa foi arrebatadora, com Salgueiro, Marcelo Salvador, Daniel Silva e Diogo Sardinha a manterem-se no grupo dianteiro até ao sprint final e a garantirem o 4º lugar coletivo com o mesmo tempo dos vencedores, a melhor classificação da equipa em 2019 entre o pelotão profissional e uma das melhores de sempre.

Salgueiro partiu para a última etapa vestido de vermelho em igualdade de tempo com o espanhol Elias Tello e os colegas de equipa Daniel Silva e Marcelo Salvador, prevendo-se um duelo ibérico bem disputado até à última pedalada. A equipa reforçou a união em torno do objetivo, com cada elemento a dar o melhor de si até à última gota de suor, mas os ciclistas espanhóis acabaram por ser mais fortes e conquistaram os dois primeiros lugares da categoria, relegando Salgueiro para a 3ª posição.

As prestações consistentes de Miguel Salgueiro e Daniel Silva, valeram o 22º e 27º lugar da classificação geral, destacando-se ainda a “performance” promissora de Guilherme Simão como 3º melhor elemento da equipa. O jovem do Seixal, que em 2019 está a viver a sua primeira experiência entre a elite do ciclismo nacional, “agarrou” a primeira oportunidade de competir num grande prémio e realizou uma excelente exibição, trepando 35 lugares nas duas últimas etapas, terminando a prova na 54ª posição.

Feliz com o desempenho, Guilherme afirmou “estive um mês parado devido a uma intervenção cirúrgica e recomecei os treinos apenas no final de abril, mas só ao fim da terceira semana é que me senti capaz para aumentar a intensidade. Saio bastante satisfeito com este resultado, pois trabalhei muito neste último mês para conseguir estar bem. Tenho que agradecer o apoio da minha família e de toda a equipa, que em muito me ajudaram a chegar até aqui.” 

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here