Grande Prémio Internacional Torres Vedras - Troféu Joaquim Agostinho terá este ano menos um dia
publicidade

A Volta a Portugal em bicicleta mantém-se nas datas programadas, de 29 de julho a 09 de agosto, segundo o calendário revisto hoje publicado pela União Ciclista Internacional (UCI).

O novo esquema de competição, que já passa a incluir as provas de escalão ProSeries, classes 1 e 2 e provas de seleção, além de sub-23 e juniores, revela ainda que o Grande Prémio Internacional Torres Vedras – Troféu Joaquim Agostinho terá este ano menos um dia.

Também as datas foram alteradas, passando agora a prova 2.2 para o período entre 24 e 26 de julho, correndo-se em três dias em vez dos quatro previstos, com a 42.ª edição a ter novo arranque 15 dias depois do inicialmente agendado.

Após a paragem devido à pandemia da covid-19, a primeira prova do calendário UCI é o Sibiu Cycling Tour, na Roménia, de 02 a 05 de julho, marcando o regresso do ciclismo após uma prolongada paragem desde março.

O novo calendário, que também inclui provas das elites femininas, permitiu aos organizadores encontrar “novas datas para 91 eventos” que tinham a sua realização em causa.

Os ciclistas poderão, nota a UCI em comunicado, disputar este ano “uma temporada sem precedente”, no qual mais de 1.000 eventos foram adiados ou cancelados, o equivalente a 45% do calendário.

“A UCI aplaude o empenho dos organizadores em reconstruírem o calendário, apesar do contexto extremamente difícil. […] A segurança dos atletas e todos os envolvidos continua a ser a principal prioridade”, nota aquele organismo, que destaca ainda que poderão ser feitos ajustes ao calendário mediante a evolução da pandemia, em reuniões marcadas para 09 e 10 de junho.

Em 05 de maio, a federação internacional já tinha divulgado o calendário do WorldTour, o principal escalão do ciclismo mundial, que tem o seu reinício agendado para 01 de agosto.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 318 mil mortos e infetou mais de 4,8 milhões de pessoas em 196 países e territórios. Mais de 1,7 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.247 pessoas das 29.432 confirmadas como infetadas, e há 6.431 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here