publicidade

A GNR deteve um homem por suspeitas de 12 furtos qualificados em habitações, estabelecimentos comerciais e viaturas do Sarge, no concelho de Torres Vedras, disse hoje fonte do Destacamento de Torres Vedras desta força de segurança.

O homem, de 26 anos, foi detido no âmbito de uma investigação que decorria há três meses.

A GNR efetuou ainda dois mandados de busca domiciliária, tendo apreendido “material proveniente dos furtos”, nomeadamente um forno, uma motosserra, um telemóvel, um castiçal, um prato de decoração e diversos artigos de bijuteria, que foram devolvidos aos proprietários.

O suspeito, sem antecedentes criminais semelhantes, é hoje presente ao Tribunal de Torres Vedras (distrito de Lisboa) para aplicação das medidas de coação.

A maioria dos crimes ocorreu entre setembro e meados de novembro, segundo a GNR, tendo criado alarme social entre a população da aldeia, mas as queixas dos moradores remontam a junho.

Desde meados de novembro que a situação acalmou, adiantou a mesma fonte, altura em que a população se começou a movimentar e a apresentar queixas à GNR, que chegaram a um total de 20.

De acordo com a mesma fonte, além da intervenção da investigação criminal, o patrulhamento foi reforçado na localidade e, este mês, a GNR vai promover ações de sensibilização junto da população para os cuidados a ter no sentido de evitar a ocorrência de furtos.

Em novembro, a população promoveu uma reunião pública, com cerca de duas centenas de pessoas, para discutir o assunto com autarcas locais e um abaixo-assinado, que veio a ser entregue à GNR com cerca de 150 subscritores, a pedir medidas que terminassem com o clima de insegurança e o reforço da iluminação pública na aldeia.

No início de dezembro, a população juntou-se numa marcha lenta com 80 veículos e 150 manifestantes, entre a localidade e o Posto Territorial da GNR em Torres Vedras, onde representantes da população se reuniram com esta força de segurança.

publicidade

Artigo anteriorIlha da Berlenga com taxa turística diária de três euros a partir de abril
Próximo artigoTorres Vedras com transferências do Estado retidas por atraso em plano contra incêndios
Agência Lusa
A Lusa é a maior produtora e distribuidora de notícias sobre Portugal e o mundo, em Língua Portuguesa. A Lusa acompanha a atualidade nacional e internacional a cada segundo, e distribui informação em texto, áudio, foto e vídeo. A rede Lusa de correspondentes cobre geograficamente todo o país e está presente em 29 de países do mundo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui