publicidade

Os estudastes do concelho mostram-se bastante entusiasmados.

Na terça-feira, dia 21 de novembro, marcou-se um momento significativo para a comunidade académica de Torres Vedras, com a inauguração das novas residências estudantis na cidade. O evento, que teve lugar nesta tarde, contou com a presença de representantes académicos e a Presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, Laura Rodrigues.

O evento de inauguração foi marcado por discursos dos responsáveis pela iniciativa, destacando a importância destas novas residências no apoio ao crescimento educacional da região. Enfatiza-se ainda a visão de transformar a cidade num polo académico  acolhedor, oferecendo aos estudantes uma experiência enriquecedora. O Politécnico de Leiria, em colaboração com o Município de Torres Vedras, concretizou a inauguração de duas residências estudantis no Centro Histórico da cidade. A iniciativa, originada em 2017, faz parte de um projeto inovador para criar um “bairro académico do conhecimento”. Esta proposta visa transformar a área num ecossistema educativo, cultural e criativo excecional.

AS RESIDÊNCIAS ESTUDANTIS

A motivação por trás da criação dessas residências baseia-se em proporcionar alojamento acessível aos estudantes deslocados que frequentam os cursos do Politécnico de Leiria no núcleo de formação local. O Município de Torres Vedras liderou este esforço, adquirindo dois edifícios no Centro Histórico para alojamento de estudantes. Enquanto isso, o Politécnico de Leiria ficou encarregue da gestão do projeto.As residências, situadas na Rua Trás do Açougue e Travessa Luís Cardoso, respondem ao Plano Nacional para o Alojamento no Ensino Superior e são financiadas pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

Em declarações à ONFM, Laura Rodrigues afirmou que “O Politécnico de Leiria disponibiliza nas residências serviços como internet wireless, aquecimento, higienização das áreas comuns, roupa de cama e atoalhados, máquinas de lavar e secar self service e cozinhas equipadas”, citado pela ONFM.

O Politécnico de Leiria responsabiliza-se ainda pelo pagamento das despesas correntes, como água, eletricidade, rede de dados, limpeza, manutenção e outros custos de funcionamento, atinentes à utilização dos alojamentos.” A localização estratégica no Centro Histórico não apenas beneficia os estudantes, mas também contribui para a regeneração urbana da área.  Este fator incentiva e potencializa iniciativas privadas de reabilitação.

As residências já estão em funcionamento, com o núcleo B atualmente ocupado por cinco estudantes, enquanto o núcleo A recebeu os seus residentes durante o mês de novembro.

Os estudantes prestaram declarações à ONFM e as opiniões destacam-se pela positiva: “é muito agradável”, “confortável”, “acolhedora”, “tem espaço”, “é muito bonita!”. Estas e outras afirmações são a definição concreta daqueles que residem no espaço, destacando ainda a localização estratégica na cidade. Para além disso, Celina Gaspar, responsável pelas residências no Politécnico de Leiria, anuncia ainda a concretização de mais projetos de reabilitação para o Instituto e consequentemente para a região Oeste! Assim, este marco representa um passo significativo para fortalecer a comunidade estudantil e promover o desenvolvimento académico na região.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here