Investimento de 300 mil euros cria acessibilidades na Praça 25 de Abril em Torres Vedras
publicidade

 A Câmara de Torres Vedras vai investir mais de 300 mil euros na criação de acessibilidades inclusivas na Praça 25 de Abril, numa intervenção que arranca em setembro e estará concluída em maio do próximo ano.

A intervenção ao nível das condições de acessibilidade física e circulação pedonal na Praça 25 de Abril visa, segundo a câmara, “promover a mobilidade suave como modo preferencial de deslocação em contexto urbano e assegurar uma efetiva equidade no acesso e fruição dos espaços e edifícios públicos”.

A operação denominada “Acessibilidade Inclusiva na Praça 25 de Abril” compreende a eliminação de barreiras arquitetónicas, o alargamento de passeios, a introdução de rampas, corrimãos e pavimentos confortáveis e a relocalização de mobiliário urbano, divulgou hoje a autarquia numa nota de imprensa.

O projeto irá transformar o espaço em frente à Igreja e Convento de Nossa Senhora da Graça numa zona pedonal, onde será apenas permitida a circulação de transportes públicos e veículos de emergência.

O acesso ao Museu Municipal Leonel Trindade, localizado no Convento de Nossa Senhora da Graça, passará a realizar-se por uma plataforma de entrada com escadas e rampa, que permitirá o acesso a pessoas com mobilidade reduzida.

 A atual zona de estacionamento será transformada num espaço “livre de barreiras arquitetónicas, com pavimento estruturado para que, através de diferentes texturas, se torne facilmente apreensível para invisuais”, refere a mesma nota.

Também em torno do Jardim da Graça serão suprimidas bolsas de estacionamento e redesenhados os eixos de circulação viária, criando uma cinta de circulação pedonal e na via nascente serão criadas zonas de estacionamento “para pessoas com mobilidade condicionada, para idosos, grávidas e pessoas com crianças de colo, para bicicletas e para motociclos e uma zona de paragem de autocarros urbanos, turísticos e de aluguer de apoio ao Museu e à Igreja”, pode ainda ler-se.

O projeto prevê ainda a conversão de escadas em rampas, no interior do jardim, e a demarcação das zonas de circulação e de atravessamento dos eixos viários com sinalética tátil própria para invisuais.

Outras das ações será a instalação de um mapa tátil na Praça 25 de Abril, com informação gráfica relativa à planta do centro histórico da cidade, à planta do espaço da Praça da República e aos alçados do Convento de Nossa Senhora da Graça. A informação será complementada por legendas e informação adicional em texto corrente e em braille.

O projeto, com início previsto para setembro, insere-se no Plano de Ação de Mobilidade Urbana Sustentável (PAMUS) e tem um custo de 300.179,74 euros.

A intervenção deverá ficar concluída em maio de 2021.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here