publicidade

“Quando te elegem líder não te dão uma coroa, dão-te a responsabilidade de ir buscar o melhor nos outros”. Foi com esta citação de Jack Welch que Mário Campos apresentou na semana passada a sua candidatura à liderança do CDS-PP de Torres Vedras.

Este empresário Torriense procura com esta candidatura ir ao encontro do pedido de várias dezenas de pessoas que ao longo dos últimos anos o têm questionado sobre uma possível liderança ao CDS-PP de Torres Vedras.

Mário Campos afirmou ainda que esta candidatura não é contra ninguém, mas a favor do CDS e seus militantes e caso seja eleito não deixará nenhum militante de fora, nem será um líder para satisfação pessoal ou alimentação de um qualquer alter ego. “Serei o líder do CDS de Torres Vedras de todos e para todos os militantes e simpatizantes com o objetivo de ajudar a mudar o Concelho e o Partido para melhor. “Saberei, no momento certo, dar valor ou criticar uma proposta, independentemente se for do meu partido ou da oposição. Os Torriense estarão sempre primeiro”, disse Mário Campos.

Referiu ainda Mário Campos que em termos Nacionais o CDS de Torres Vedras tem de deixar a figura de “patinho feio” e de estar em “bicos de pés” para que se lembrem de nós. Pelo contrário, quero que não possam deixar de contar com Torres Vedras. Quero trabalhar para duplicar a militância e principalmente para aproximar os que se identificam com as nossas propostas e não são militantes.

Questionado porque razão não apoiou mais uma demissão em bloco dos seus companheiros da Comissão Politica anterior, onde era membro, Mário Campos justificou pelo respeito do integral cumprimento dos mandatos, que segundo ele devem ser levados até ao fim. O candidato sublinhou que esse será um ponto de honra caso seja eleito, levar o mandato até ao fim e nunca misturar questões pessoais com a vida do Partido onde a lógica coletiva será sempre a que prevalece.

Questionado também sobre potenciais acordos de coligação para as autárquicas, Mário Campos afirmou que só fará coligações se as condições forem vantajosas para aquilo que o CDS defende para Torres Vedras. Mário Campos e a sua equipa querem ter representantes do CDS em todas as frentes e que façam a diferença, numa oposição positiva, acutilante e assertiva.

A acompanhar o candidato nesta cerimónia esteve Vitor Leal Pinto, o mandatário desta lista e militante do CDS-PP há mais de 30 anos. Em contraponto, Mário Campos fez questão de garantir a presença de alguns jovens da JP, num projeto de encontro de gerações onde todos têm lugar para afirmar as suas ideias por Torres Vedras.

Recorde-se que Mário Campos teve nos últimos dez anos uma intensa atividade política na luta travada pela liberdade de horários de todos os comerciantes, algo que levou a bom porto e que gerou legislação nacional. Na sequência disto o seu mandatário disse: “Um homem só conseguiu mudar uma lei, chama-se Mário Campos. É desta fibra e resiliência que o CDS-PP de Torres Vedras necessita”.

Mário Campos deixou bem claro a todos os militantes do CDS de Torres Vedras que se candidata pelo partido, pelos militantes e simpatizantes do CDS e por Torres Vedras.

No culminar da cerimónia o Candidato deixou um apelo final: “Apelo a todos os Militantes do CDS-PP de Torres Vedras a comparecerem no próximo dia 16 de abril entre as 16:00 e as 18:00h na sede da Concelhia de Torres Vedras e exerçam o vosso direito de escolha baseado nas propostas apresentadas. Se todos vierem votar ganha a democracia o Partido e o Concelho”.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.