publicidade

A comitiva da UNESCO passou, na tarde do dia 27 de julho, por Torres Vedras.

O aspirante Geoparque Oeste está a finalizar o seu processo de candidatura a Geoparque Mundial da UNESCO.

No âmbito deste processo, uma comissão avaliadora da UNESCO realizou, entre o passado dia 24 de julho, e dia 28 de julho, uma visita ao território dos seis municípios envolvidos no aspirante Geoparque Oeste, a qual foi acompanhada pela equipa técnica do mesmo.

Em Torres Vedras a comitiva da UNESCO passou, na tarde do dia 27 de julho, pelo Centro de Artes e Criatividade, local com uma forte ligação à tradição do Carnaval no mundo, e, em especial, à do Carnaval de Torres Vedras, que agora está também ele inscrito no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial. Nesta visita, aquela comitiva foi recebida por um grupo de bombos e cabeçudos organizado pelo grupo Rufinhos.

Seguiu-se a visita à Azenha de Santa Cruz, onde foi proporcionada uma visita-guiada e uma prova de vinhos. Posteriormente, a comitiva da UNESCO deslocou-se até à Praia Azul, local em que Bruno Camilo (da Sociedade de História Natural) orientou uma visita ao geossítio paleontológico dessa praia, o qual é um excelente exemplo de geoconservação.

O périplo efetuado pela equipa de avaliadores da UNESCO no dia 27 de julho terminou com um jantar na Aldeia Neptuno (onde decorre o festival Santa Cruz Ocean Spirit), no qual estiveram presentes a presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, Laura Rodrigues, a vereadora do Turismo da Câmara Municipal de Torres Vedras, Dulcineia Ramos, e a ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa.

No âmbito do quinto e último dia de visita da comissão avaliadora da UNESCO pelo território do aspirante Geoparque Oeste realizou-se, no Centro para a Sustentabilidade do Mar e Zonas Costeiras (em Porto Novo), uma sessão de encerramento de trabalhos, a que se seguiu um almoço no hotel Areias do Seixo com produtos locais (peixe do mar e vinhos de Torres Vedras).

A criação do Geoparque Oeste é, recorde-se, um projeto dinamizado e apoiado diretamente por seis municípios (Bombarral, Cadaval, Caldas da Rainha, Lourinhã, Peniche e Torres Vedras), já que esse projeto concederá uma “chancela” essencial para o território dos mesmos, que verão o seu património natural, mas também cultural, reconhecido pela UNESCO.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here