Mostra Espanha com programação cultural em 20 cidades até dezembro
publicidade

Torres Vedras é uma das 20 cidades que acolhe este ano o evento Mostra Espanha.

A Mostra Espanha 2019 vai decorrer este ano, entre junho e dezembro, em 20 cidades do país, para divulgar o património cultural espanhol através de exposições, música, artes cénicas, conferências e encontros, foi hoje anunciado, em Lisboa.

O evento, este ano em 6.ª edição, com mais de 80 iniciativas, apresenta um programa de atividades culturais para dar “uma visão do dinamismo e criatividade das indústrias culturais espanholas” no momento atual, segundo a organização, que apresentou o programa na Embaixada de Espanha, em Lisboa.

A Cine-Fiesta – Mostra de Cinema Espanhol, uma mostra de fotografia de Quique Jiménez, a exibição da pintura do século XVII “Frei Pedro Machado”, de Francisco de Zurbarán, concertos de Ana Alcaide, do coro La Trova, da Orquestra Sinfónica das Astúrias, espetáculos de Rocío Molina e Eduardo Guerrero são apenas algumas das propostas do programa que decorre até 31 de dezembro.

Muitos dos eventos e espetáculos estão inseridos em festivais que vão decorrer em várias cidades do país, nomeadamente o Cister Música – Festival de Música de Alcobaça, o Festival Internacional de Guitarra de Guimarães, o Festival Flamenco Atlântico e a Quinzena de Dança de Almada.

Entre as exposições, estará, pela primeira vez, a presença do património arqueológico de Espanha, como indicou na conferência de imprensa Adriana Hernández, responsável da Direção-Geral das Indústrias Culturais e Cooperação de Espanha.

Nesse âmbito, o Museu Nacional de Arqueologia acolherá a “Pátera de Titulcia”, um prato em prata da proto-história da Península Ibérica, proveniente do Museu Arqueológico Regional da Comunidade de Madrid, que sai pela primeira vez de Espanha.

Por seu turno, Fernanda Heitor, da Direção-Geral dos Serviços de Estratégia, Planeamento e Avaliação Culturais (GEPAC), salientou a “cooperação que tem sido realizada entre os dois países, nomeadamente nas áreas dos arquivos e património”.

A responsável salientou que o evento, que também se realiza do lado português, nos mesmos moldes, em Espanha, tem como objetivo “dar a conhecer uma panorâmica mais vasta e abrangente da cultura dos dois países”.

Alcobaça, Almada, Belmonte, Braga, Bragança, Caldas da Rainha, Cascais, Coimbra, Évora, Guarda, Guimarães, Lagoa, Lisboa, Óbidos, Porto, Penacova, Serpa, Setúbal, Torres Vedras e Vila Franca de Xira são as cidades que este ano acolhem a Mostra Espanha.

Na apresentação, os vários parceiros do evento falaram sobre as iniciativas previstas, nomeadamente, na área das exposições, da mostra “Mérida. Theatrum Mundi”, que estará patente no Museu de Lisboa – Teatro Romano, sobre a arquitetura do Teatro Romano de Mérida, a partir das plantas históricas, projetos e fotografias inéditas do monumento.

Ainda nas exposições, estão previstas apresentações de Carmen Cólogan, Damià Díaz, Benjamin Palencia e a mostra “Arquiteturas Pintadas”, sobre o papel da imagem arquitetónica na obra de pintores espanhóis como Jorge Tarazona, Gonzalo Elvira e Juan Cuellar, entre outros.

O Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa, irá acolher a pintura “Frei Pedro Machado”, de Francisco Zurbarán, datada de 1630, procedente da Real Academia de Belas Artes de San Fernando.

Trata-se de uma obra contemporânea de “São Pedro” (1633), assinada pelo artista, tela central da série dedicada aos 12 apóstolos, proveniente da oficina de Zurbarán, que faz parte do acervo do museu português

Na música, são esperados concertos de Uxía Senlle & Sérgio Tannus, o Projeto Ibérico Orquestral, Rozalén, Eliseo Parra, Perico Sambeat Group, Jose Carra Trio, Javier Alcántara, e David Carmona.

Nas artes cénicas, Ursula López fará um tributo de dança a Paco de Lucía, flamenco de Felipe Mato, a Camerata Flamenco Project, a atuação da Réplika Teatro, o Coletivo Lizarco, La Joven Compañia, a Plataforma Coreográfica Internacional, um novo projeto do coreógrafo Roberto Olivan e a Companhia Luz, Micro y Punto, para o público infantil.

Quanto às conferências, estão previstas, entre outras, o Simpósio sobre arte e feminismo em Espanha e Portugal nos anos 1960 e 1970, que decorrerá em novembro na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, e “A construção da imagem das rainhas portuguesas e espanholas do século XVI ao XVIII”.

Também irá decorrer o IX Simpósio Internacional de Arte Contemporânea, no Museu da Guarda.

A inauguração oficial Da Mostra Espanha está prevista para dia 14 de junho, no Porto, com o espetáculo de Rocío Molina, no Teatro Rivoli, no Porto, e em Lisboa, a 18 de junho, com a entrega do Prémio Luso-Espanhol de Arte e Cultura, à cantora portuguesa Mariza.

A organização da Mostra Espanha é da Direção-Geral das Indústrias Culturais e Cooperação do Ministério espanhol da Cultura e Desporto, em parceria com a Ação Cultural Espanhola e a Embaixada de Espanha em Lisboa, e conta ainda com o apoio do Ministério da Cultura de Portugal, câmaras municipais, Instituto Cervantes de Lisboa e vários agentes culturais.

A programação completa está disponível para consulta ‘online’ em www.mostraespanha.org .

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here