Município da Lourinhã renova imagem institucional para atrair turistas
publicidade

A Câmara da Lourinhã, no distrito de Lisboa, apresenta hoje a sua nova imagem institucional, cerca de 20 anos após a última alteração, para ajudar a captar turistas para o concelho.

“Tornou-se premente a atualização da imagem institucional de forma adequar a estratégia municipal de turismo à forma como comunicamos institucionalmente”, justificou o presidente da câmara, João Duarte Carvalho, à agência Lusa.

Para o autarca, a renovação da imagem institucional “permite afirmar o território da Lourinhã como uma marca, com posicionamento estratégico nos mais variados campos e voltada essencialmente para a captação de turismo e investimento”.

A nova imagem gráfica institucional inscreve pegadas de dinossauros para assinalar a presença de achados paleontológicos no concelho, o sol e mar, o canhão em alusão à Batalha do Vimeiro de 1808, durante as invasões francesas, e um coração, alusivo ao mito de Pedro e Inês de Castro, associado à localidade do Moledo, enquanto definidores da identidade concelhia.

Os dinossauros vão continuar a ter uma forte presente no logótipo, mas “o objetivo será dar a conhecer aos visitantes e turistas as outras histórias e estórias da Lourinhã”, sublinhou João Duarte Carvalho.

Os elementos constantes no logótipo do município vão ao encontro dos cinco eixos estratégicos de desenvolvimento do concelho, previstos na Estratégia para o turismo da Lourinhã 2019-2027, que foi também apresentada.

Além da atração de turistas, é objetivo da estratégia gerar uma consequente resposta por parte dos investidores e operadores do concelho na criação de projetos que contribuam para esse desenvolvimento.

Os eixos de desenvolvimento passam por potenciar o turismo paleontológico, o turismo militar, o mar e a gastronomia a ele associada, os produtos da terra e o mito Pedro e Inês de Castro, de acordo com a estratégia, a que a Lusa teve acesso.

Para a implementação estratégica, é definido um programa de ações, como melhoria dos postos de turismo, formação dos agentes turísticos e de guias, instalação de uma sinalética homogénea nas rotas e espaços de interesse turístico, incentivo à criação de artesanato temático, criação de áudio guias e de rotas alusivos à aguardente, à produção de abóbora, ao mito de Pedro e Inês de Castro e pelas azenhas existentes no concelho.

São propostos encontros, festivais e outras atividades culturais temáticas que ajudem a diversificar a oferta de animação, a organização de provas desportivas, encontros literários, o reforço das marcas “Batalha do Vimeiro 1808 e “Lourinhã, capital da Abóbora”, e a criação de um Centro Interpretativo da Aguardente da Lourinhã.

O município pretende tirar partido da proximidade a Lisboa e ao aeroporto da capital para atrair turistas.

A estratégica para a próxima década traça como objetivos aumentar em 4,2% a média de dormidas, em 7% as receitas geradas no concelho, duplicar o nível de habilitações dos agentes turísticos e conseguir ter turistas todo o ano, reduzindo em 4% a sazonalidade.

O município pretende ainda que 90% das empresas turísticas adotem medidas de utilização eficiente de energia e da água e desenvolvam ações de gestão eficiente dos resíduos.

No concelho existem oito unidades de alojamento, das quais apenas duas são hotéis, com uma capacidade total inferior a 400 hóspedes.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here