publicidade

Bandas de rock, freestyle, DJ, restauração, exposições e, claro, muita paixão pelas duas rodas é o que se espera no 25º aniversário do Moto Clube de Torres Vedras, que assinala as Bodas de Prata com dois dias de festa, Sexta-Feira e Sábado, na Expotorres. O Torres Vedras Web esteve à conversa com José Luís Rufino, Presidente, e José Silva, Secretário, que nos contaram tudo sobre as comemorações deste fim-de-semana.

“Temos um cartaz que bate aos pontos todo o tipo de festa que já fizemos” assume José Silva, que não hesita em sublinhar que esta responsabilidade se justifica pela data marcante que é e, acima de tudo, porque “os sócios merecem, sem eles não havia Clube. É para isso que estamos cá.” Durante os dois dias de festa são esperadas entre cinco a sete mil pessoas. “Connosco, toda a gente se vai sentir em casa.”

O freestyle é uma aposta forte do Moto Clube torriense, que conta com a presença de Paulo Martinho e Pedro Sousa durante a tarde e a noite de Sábado. José Silva não tem dúvidas de que este será um dos pontos altos do fim-de-semana. “O Paulo Martinho é considerado o melhor português da modalidade. É um excelente piloto. Vai ter quatro motas, um carro de cross… Seguramente, a adrenalina vai ser muita.”

As condições de segurança aliadas às condições de som – com speaker e música preparados para o efeito – deixam concluir que “está tudo a postos” para um grande espectáculo que, só por si, deverá atrair “milhares de pessoas”.

A diversidade do cartaz que o clube torriense apresenta, com “várias actividades de interesse público”, faz o grupo acreditar que “não compareçam só os motociclistas, mas também a cidade e o concelho. A festa é para todos.” Por isso mesmo, também de música se faz a festa, que conta com as bandas Ben Covers Band e Attitude, a que se segue o som do DJ Ricardo F. “Temos o privilégio de poder dizer que é no centro da cidade e que as entradas são absolutamente gratuitas. Quem está de fora pode não entender o que isto quer dizer… mas para nós é muito significativo.” Tudo, garantem, para que “as pessoas apareçam e se divirtam.”

Quanto ao futuro, admitem que manter o ritmo de actividade é, só por si, um grande desafio. José Luís Rufino admite que “às vezes já nem temos tempo para falar sobre isso [o futuro].” Isto porque, lembra, “em Janeiro já estamos a preparar a Passagem de Ano.” Para já, é garantida a notícia que chegou há poucos dias: 13 de Maio é dia de colheita de sangue nas instalações do Moto Clube, na Rua da Sociedade Columbófila, promovida pela Associação de Dadores de Sangue.

O Presidente do clube torriense não deixa de pensar no futuro sem destacar o papel de “todas as direcções que passaram pelo Moto Clube e de todos os sócios, os antigos, os actuais e os novos.” Porque, garante, “sentimo-nos com força de andar para a frente porque todos os eventos contam com muita adesão dos sócios.” Disso é prova o recente passeio que juntou mais de 50 motas, 96 pessoas, que atravessaram o Tejo e foram almoçar a Alcácer. “Ter o apoio das pessoas, dos sócios e dos seus amigos, é o que nos faz andar para a frente.”

“Venham com cuidado e em segurança.” Não podia ser outra a mensagem deixada a todos os que rumam a Torres Vedras durante os próximos dias. “O Moto Clube e a cidade esperam-vos. Sabemos acolher e receber bem os nossos visitantes” tal como aconteceu no ano passado, lembram, com as cerca de 40 mil pessoas que passaram pelo Dia Nacional do Motociclista em 2015.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.