O Carnaval de Torres Vedras em números
publicidade

Dizem que a vida são dois dias e que, por cá, o Carnaval de Torres são seis. O Torres Vedras Web dá-lhe a conhecer os números que marcam a festa torriense, que arranca já esta Sexta-Feira.

 

2000 inscritos no Concurso de Grupos de Mascarados do Corso de Sábado à noite.

45 grupos de mascarados desfilam pelas ruas da cidade no Corso Nocturno de Sábado.

350.000 visitantes passaram pelo Carnaval de Torres do ano passado, ao longo de quatro dias.

2 cabeçudos novos, este ano.

600.000 euros é o orçamento para a edição deste ano, o maior dos últimos seis anos.

8500 crianças de todo o concelho de Torres Vedras desfilam, Sexta-Feira, no tradicional Corso Escolar.

32 metros é a altura do Monumento ao Carnaval deste ano, instalado na Praça da República.

10 milhões de euros é o impacto que o Carnaval de Torres tem na economia local.

75.000 a 116 mil visitantes por ano é o número esperado para o futuro Museu do Carnaval.

85% de taxa de ocupação hoteleira na cidade de Torres Vedras (indicadores a uma semana do início do Carnaval).

1574 é de quando data a primeira referência a brincadeiras de Carnaval em Torres Vedras, em tempos de D. Sebastião. Tratou-se de uma queixa de “Jeronimo de Miranda, morador em Vila de Torres Vedras ‘contra uns moços folgando com um galo dia de entrudo trazemdo rodelas, espadas paus como custumam o tal dia” e que provocaram uma briga, tal como explica a obra “Carnaval de Torres – Uma História com Tradição (1923-1998).”

1900 o ano em que “O Jornal de Torres Vedras” – primeiro jornal local – escrevia que nas ruas “apenas houve digno de menção uma paródia ao automóvel do nosso amigo sr. Joaquim Pedro Marques, e a exhibição de uma dança vinda de Runa e em que figuravam em travesti de bailarinas uns perfeitos mocetões, um dos quais até impressionou vivamente dois amigos nossos (…)

20 foi a década em que o Carnaval de Torres conheceu o seu verdadeiro arranque, com a formação de uma comissão para organizar os festejos de rua.

92 anos de tradição em que a Rainha do Carnaval é um homem que se veste de mulher. Em 1924 atingiu-se, então, uma animação de rua “nunca antes vista.”

10.186 bilhetes vendidos para o acesso de peões ao corso, em 1935.

1940 ano em que estavam proibidos os festejos de Carnaval por causa da guerra. No entanto, uma comissão com representantes da Tuna, do Grémio, do Operário, do Casino e do Sporting Clube de Torres pediu ao Presidente da Câmara para autorizar a realização do tradicional Carnaval de Torres. Ele autorizou, com a condição de que não se fizesse propaganda, para não chegar ao conhecimento das autoridades de Lisboa, permitindo que o Carnaval de Torres ainda se realizasse neste ano.

4 sensacionais sessões” anunciava o cartaz do Teatro-Cine Ferreira da Silva, em Torres Vedras, para Domingo, Segunda e Terça-Feira do Carnaval de 1956. “Venda e marcações de lugares no Café Nicola.”

32 anos atrás, a organização do Carnaval de Torres foi suspensa devido à inundação de grande parte da cidade e do concelho no Outono.

1988 foi o ano em que se realizou o primeiro Carnaval temático em Torres Vedras, sob o mote d’“Os Descobrimentos”.

6 dias de Carnaval de Torres Vedras, o mais português de Portugal!

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here