publicidade

Quando, por qualquer razão, o rendimento do seu agregado familiar diminui e tem créditos ao consumo para pagar, a sua taxa de esforço vai aumentar colocando-o em risco de incumprimento para com, logo à partida, as suas obrigações financeiras para com as instituições de crédito onde os contratualizou.

A taxa de esforço (Encargos financeiros com as prestações de crédito / Rendimento Líquido Total do Agregado x 100) é um excelente aferidor da sua capacidade financeira e quando ultrapassa os 50% é sinal de que precisa de reestruturar a sua vida financeira de forma a dar um novo folego ao seu orçamento familiar.

A pergunta, no entanto, é como fazer baixar a taxa de esforço e eliminar os créditos que tem entre mãos?

A resposta a esta pergunta é: consolidar créditos mediante a contratualização de um crédito consolidado.

O que é o crédito consolidado?

Na prática, um crédito consolidado é uma solução de crédito que permite que os consumidores peçam um financiamento que lhes vai permitir eliminar todos os valores em dívida decorrentes de créditos ao consumo contraídos e ficar com apenas uma prestação mensal (com uma taxa de juro mais baixo do que a média dos créditos anteriores), um prazo de pagamento mais prolongado perante uma só instituição de crédito.

Depois de solicitado e aprovado o seu pedido de crédito consolidado, a instituição financeira da qual contratou o crédito consolidado irá liquidar os outros créditos que tem a pagar ficando com apenas um crédito e uma mensalidade com menor taxa de juro e aumento do prazo de reembolso junto de apenas uma instituição financeira.

Assim, de uma assentada, o consumidor, ao juntar todos os créditos num só, não vai ver apenas a sua taxa de esforço reduzir-se drasticamente, como também estabelecer uma nova data limite para pagar a dívida e, caso necessite ou assim o deseje, pedir um financiamento extra para aforrar ou fazer uma compra urgente.

De um modo geral, é disto que falamos quando falamos de um crédito consolidado.

Mas para que perceba de que forma é que esta ferramenta financeira o pode ajudar a reequilibrar as suas finanças pessoais e garantir-lhe mais dinheiro na conta durante o mês, fique com o exemplo prático que tem por base a família Pereira que apresenta uma taxa de esforço de 60,7%.

Crédito Consolidado: o caso da família Pereira

A família Pereira, pai António, mãe Rita e filha Catarina, têm um rendimento mensal líquido total de 2800 euros e soma encargos financeiros mensais decorrentes de créditos contraídos anteriormente de 1700 euros (empréstimo total de 50 mil euros).

Calculada a taxa de esforço (Encargos financeiros / Rendimento Líquido Total do Agregado) x 100), chegamos a uma percentagem de 60,7%.

Face a esta elevada taxa de esforço, o risco de incumprimento com as suas obrigações financeiras é real, levando a família, por intermédio da filha Catarina, mais à vontade com os meios digitais, a procurar uma solução de crédito consolidado online.

Sabendo de que a contratação de um produto financeiro é uma grande responsabilidade, a Catarina verifica junto do site do Banco de Portugal quais as entidades autorizadas pelo regulador a conceder créditos em Portugal para que não tente contratualizar um crédito consolidado numa instituição a operar de forma ilegal e não cair numa fraude.

Depois de escrever “crédito consolidado” no motor de pesquisa do seu smartphone, a Catarina decide clicar na solução de crédito consolidado do UNIBANCO.

Após clicar, a nossa personagem encontra de imediato um simulador de crédito consolidado que lhe vai permitir calcular o valor de mensalidade a pagar em função de montantes de crédito que variam entre os 5 mil e os 75 mil euros para prazos de pagamento de 24 a 84 meses.

Como o único objetivo da família Pereira é eliminar os créditos anteriores, a filha Catarina opta por pedir um crédito de 50 mil euros a pagar em 84 meses.

Contudo, como já referimos, o crédito consolidado permite que, além de pedir o equivalente aos valores em dívida, possa pedir um financiamento extra para constituir um fundo de maneio ou investir num projeto pessoal.

Calculada a mensalidade em função de um financiamento de 50 mil euros a pagar em 84 meses, a Catarina obtém o valor mensal de 874,63 euros que, em termos de taxa de esforço, significa que com o crédito consolidado do UNIBANCO, a família Pereira verá a sua percentagem baixar dos 60,7% para os 31,2% e ficar com maior folga orçamental ao longo do mês.

A simulação apresentada diz respeito a um financiamento de €50.000 a pagar em 84 mensalidades de €874,63. TAN 11,250% e TAEG 13,0%. MTIC €74.349,61.

publicidade

Artigo anteriorConcluídas as obras de melhoramento da Cirurgia B e Medicina B da Unidade de Torres Vedras do Centro Hospitalar do Oeste
Próximo artigoInaugurado Centro para a Sustentabilidade do Mar e Zonas Costeiras
Redação
O TORRES VEDRAS WEB é um website de informação, notícias e recursos sobre a cidade, concelho de Torres Vedras e da atualidade em geral. A tua cidade online!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui